Publicidade

Casos da doença da ‘urina preta’ na BA já são 52

Assista reportagem aqui

O número de casos suspeitos da doença misteriosa que provoca dor muscular intensa e deixa urina preta chegou a 52 na Bahia, segundo dados da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) divulgados nesta terça-feira (10). A contabilização é referente ao período entre 14 de dezembro de 5 de janeiro deste ano. No último boletim divulgado pelo órgão, com registros até 30 dezembro de 2016, os casos suspeitos eram 30. Até 19 de dezembro do ano passado, eram 22.

Em relação ao último boletim, foram 22 novos casos registrados. Segundo a Sesab, não é possível afirmar que as situações tenham ocorrido exatamente entre o último levantamento e o atual (de 31 de dezembro e 5 de janeiro), pois podem se tratar de notificações tardias.

Todos os novos casos foram registrados em Salvador, que desde o ínicio do levantamento já contabiliza 50 suspeitas da doença. Além da capital, também há registros em Vera Cruz (1) e Lauro de Fretas (1).

Os quadros investigados estão sendo tratados pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Divep) como “mialgia [dor] aguda a esclarecer”, pois ainda não há informações sobre as causas da doença. Uma das hipóteses é de que possa estar relacionada ao consumo de peixe.

G1-BA

Comentários (3) enviar comentário
  1. Claudia Melo disse:

    Os sintomas parecem com a Rabdomiólise: a quebra (lise) rápida de músculo esquelético (rabdomio) devido à lesão no tecido muscular. A lesão muscular pode ser causada por fatores físicos, químicos ou biológicos. A destruição do músculo leva à libertação de produtos das células musculares na corrente sanguínea; alguns dos quais, como a mioglobina (uma proteína), são lesivos para os rins, podendo causar insuficiência renal aguda. Seus primeiros sinais e sintomas podem incluir mialgias, fraqueza muscular e o escurecimento da urina. O tratamento faz-se com fluidos intravenosos e diálise ou hemofiltração se necessários.

  2. Alldo disse:

    Os órgãos governamentais não devem ESCONDER as causas desta doença em nome de um prejuízo para o turismo deste Estado.

  3. Sem esperança disse:

    O peixe é arabaiana.

Publicidade