Bandidos armados invadem casa em Emaús na madrugada, fazem arrastão e fogem com carro da família

Mais um arrastão em uma residência no bairro de Emáus, em Parnamirim, na Grande Natal, promoveu momentos de terror para uma família. Na madrugada desta terça-feira (26), por volta de 3h30, bandidos armadores invadiram uma casa e ficaram até 4h14, de acordo com registro de uma das vítimas.

Segundo um amigo das vítimas, em contato direto com o Blog, os bandidos colocaram vários objetos no carro da família, um Meriva vermelho de placas MYY-4748, que não tem seguro, e logo após fugiram com destino ignorado.

Detalhes dos minutos de terror e quantas pessoas estavam no imóvel não foram revelados até o momento da publicação desta notícia.

    4 Comentários

    1. lailton disse:

      1hr da manhã e eu sem conseguir dormir, com medo! Ja estamos treinando o que faremos se entrarem aqui em casa. Por favor, divulguem mais esses assaltos, precisamos da intervenção de alguém. A situação é crítica e assustadora.

    2. Bento . disse:

      O povão tem que sair urgente para as ruas, vamos pressionar os congressistas para votar a lei de PENA DE MORTE E PRISÃO PERPÉTUA URGENTE, TEM QUE REDUZIR A IDADE PENAL PARA OITO ANOS COMO É NOS ESTADOS UNIDOS, ou faz assim ou não tem Jeito, OS VAGABUNDOS VÃO CONTINUAR GANHANDO DE GOLEADA. MAIS DO QUE 7X1.

    3. Regina disse:

      A lista de coitadinhos, excluídos sociais só aumenta.
      Logo a turma dos direitos humanos vão reclamar o volume de serviço que aparece.
      Tadinhos dos bandidos, foram levados a cometer esses atos devido a falta de condições para ingressar na sociedade economicamente ativa. Os bichinhos não conseguem estudar, não tem capacidade de se profissionalizar e pior, o estado não banca todas as despesas com o sustentos deles, tadinhos…
      Quem mandou essa família de abastados sociais, que estudaram, trabalharam, adquiriram seus bens através de meios dignos e pagam imposto para manter os programas sociais, ficaram de bobeira, vacilando. Não contrataram serviço particular de segurança, queriam o quê? Foram assaltados, agora vão reclamar? Adianta não, é chover no molhado, te vira cidadão de bem, enquanto pode, pois na velocidade que a criminalidade vai, logo seremos terra de bandidos.

    Homem é assassinado a tiros e mulher fica ferida em atentado em Parnamirim

    Um homem de identidade a ser confirmada foi assassinado a tiros dentro de um Gol de cor branca, na manhã desta quarta-feira (23), em Parnamirim, região metropolitana de Natal. De acordo com a Polícia Militar, a mulher da vítima foi baleada e socorrida. Não se tem informação de como o crime aconteceu.

    O Instituto Técnico-científico de Polícia (Itep) foi encaminhado ao local a ser confirmado. O caso deverá ser investigado pela 1ª Delegacia de Polícia do Município.

      Nenhum Comentário

      Tribunal Federal anula dívida de R$ 41 milhões de Parnamirim

      Por unanimidade, o pleno do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF-5), com sede em Recife (PE), determinou a anulação, em julgamento ocorrido ontem, a anulação da dívida de R$ 41 milhões do município de Parnamirim, referente a parcelas do FGTS e obrigações sociais não depositados entre 1990 e 2007.  Em decisão anterior, o juiz federal Mário Jambo já havia mandado suspender, em caráter liminar, a referida cobrança.

      A dívida tinha sido inscrita em 2012 pelo Ministério do Trabalho no Sistema de Administração Financeira (Siaf) e no Cadastro Único de Convênio (Cauc). O Ministério do Trabalho, durante inspeção realizada em 2007, não reconheceu a legalidade da lei municipal que efetivou o regime jurídico único dos servidores, promulgada em maio de 1990 – o que acabou ocasionando a cobrança da suposta dívida.

      A Prefeitura de Parnamirim, ao contestar a cobrança, destacou que a lei dispondo sobre a instituição do Regime Jurídico Único (RJU), aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pelo então prefeito Raimundo Marciano de Freitas, fora publicada no instrumento de divulgação da época: o quadro de avisos da Prefeitura. A lei assegurava a todos os servidores celetistas os direitos e vantagens, inclusive a liberação das cotas do FGTS, de acordo com a legislação federal, o que efetivamente aconteceu.

      Além disso, o município argumentou que não havia obrigatoriedade de publicação da lei no Diário Oficial do Estado como defendia a DRT. Em consequência, a cobrança era ilegal, uma vez que os servidores municipais deixaram de ser regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), passando a usufruir dos benefícios previstos no novo regime dos servidores públicos das três esferas do Poder Executivo – Federal, Estadual e Municipal.

      Na decisão proferida no dia 24 de abril de 2012, quando a prefeitura estava impedida de celebrar convênios ou contratar empréstimos da dar andamento a seus projetos, o juiz substituto da 2ª Vara Federal do Rio Grande do Norte reconhecia a legalidade da lei municipal.

      Assessoria Parnamirim

        Nenhum Comentário