Gilmar Mendes: ‘Meu trabalho é exaustivo, mas não acho escravo’

O ministro Gilmar Mendes, durante sessão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal – Jorge William/Agência O Globo/03-10/2017

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes defendeu que a definição do que deve ser considerado trabalho escravo tenha “condições objetivas”. Ele afirmou ainda não ter lido a portaria editada pelo Ministério do Trabalho que dificulta esse tipo de autuação, mas ironizou a autuação dos fiscais afirmando que pode haver quem enquadre funcionários que atuam nas garagens de tribunais como submetidos a trabalho escravo. O ministro disse que ele próprio faz trabalho “exaustivo” por atuar também no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que preside neste momento.

— Esse tema é muito polêmico. O importante é tratar do tema em um perfil técnico, não ideologizado. Nós mesmos já tivemos no STF debates a propósito disso, em que se diz que alguém se submete a um trabalho exaustivo. Eu, por exemplo, acho que me submeto a um trabalho exaustivo, mas com prazer, não acho que faço trabalho escravo, corro do Supremo para o TSE — afirmou.

E continuou:

— Já brinquei no plenário do Supremo que dependendo do critério do fiscal, talvez ali na garagem do Supremo, ou aqui na garagem do TSE, que talvez seja mais saudável, alguém possa identificar aí condição de trabalho escravo. Então é preciso que haja condições objetivas e que esse tema não seja ideologizado — disse Gilmar.

Ele não falou especificamente sobre a nova portaria porque disse não ter tido ainda “tempo” para ler e fazer a “devida aferição” dos critérios adequados.

O Globo

Publicidade

Comentários:

  1. Nascelio disse:

    Ministro é só sair da política que seu trabalho vai reduzir a metade. Agora com o tanto de bandido que vc vem protegendo sempre vai faltar tempo.

  2. Sirlei disse:

    Deve ser mesmo pq ficar dublando a lei ao invés de punir e afastar definitivamente os corrupto. Ter atitudes efetiva por medo de respingar merda em seu cargo …..deve ser exaustivo.

  3. Roberto Jácome disse:

    João Costa, vc usou bem o termo canalha, mas tenho convicção de que "VERME"! Cairia melhor.

  4. João costa disse:

    Esse canalha diz isso porque a soma do salario dele com as regalias que lhe é impostas, dar pra pagar viagens de jatinho, que não é trabalho nenhum, e daria pra pagar um montão de medicos, professores, engenheiros, isso só profissionais …..

  5. Tarcísio Eimar disse:

    É um FDP mesmo

  6. PEDRO NOGUEIRA disse:

    Também acho !!! Quem já viu escravo ganhar mais de R$30.000,00

  7. Meemail disse:

    Quantas fazendas deve ter esse cidadão?? Exaustivo em ar condicionado, "vendendo sua força" de trabalho.

  8. Alberto disse:

    Eu queria ser escrevo igual a ele, com o mesmo salário, mesmos benefícios, com os mesmos 25 juízes assessores lendo e redigindo todas as decisões, com as mesas propriedades, veículos, empregados, residência, adicionais… se for pra ser escravo assim, que chegue logo!

  9. Souza disse:

    Aí fala BESTEIRA…. Pelo amor de Deus…..

  10. Pato Amarelo disse:

    Esse bandidão perdeu completamente a vergonha na cara, se é que algum dia teve. Totalmente vendido.