BALANÇO OPERAÇÃO CORPUS CHRISTI – PRF: Imprudência aumenta e número de mortos sobe no RN

A operação Corpus Christi 2017 da Polícia Rodoviária Federal finalizou à meia-noite desse domingo (18) com um triste número: cinco mortos em rodovias federais no Rio Grande do Norte. Apesar do reforço de fiscalização e repetição de ações de educação para o trânsito, houve quatro acidentes que resultaram em óbitos.

Os números da operação apontam para um possível relaxamento de condutores, passageiros e pedestres nesta relação social delicada que é o trânsito. A fiscalização de alcoolemia é um indicativo disto. Neste ano, a PRF realizou 15% mais testes que em 2016, mas o número de multas e pessoas detidas foram muito maiores: 92% e 100%, respectivamente.

Outro indicativo nessa direção é o número de ultrapassagens proibidas.

Enquanto 123 motoristas foram autuados em 2016 por realizar a manobra em faixa dupla contínua amarela ou de forma forçosa, em 2017 o número foi ainda maior: 143, o que equivale a um aumento de 16%.

Fato importante em ambos os casos é que estas atitudes perigosas são assuntos constantes nos pronunciamentos da PRF sobre riscos no trânsito, principalmente antes de feriados prolongados. Imprensa e demais órgãos de segurança viária são uníssonos sobre grande parte das evidências que envolvem acidentes rodoviários graves.

Neste sentido, e não por acaso, os valores das multas para essas imprudências foram bastante majorados em 2016, com o único intuito de desencorajar a prática perigosa desses atos na direção de veículo automotor. Como exemplo, a multa ao motorista flagrado por alcoolemia é de R$ 2.934,70, dobrando no caso de reincidência dentro de 12 meses, e por ultrapassar em faixa contínua amarela é de R$ 1.467,35.

Crimes flagrados – Durante o feriado a Polícia Rodoviária Federal também teve números de combate a crimes maiores que os de 2016. Foram 29 pessoas detidas em 2017, contra 12 no feriado do ano passado. Também foram recuperados quatro carros e apreendidas seis armas este ano, sendo um carro e duas armas em 2016.

Publicidade

Comentários: