Nota de esclarecimento Cei Mirassol

A Escola Cei Mirassol divulgou uma nota para esclarecer um suposto caso de ‘bullying’ sofrido por um aluno em sala de aula. De acordo com a instituição de ensino, o Cei não irá se manifestar sobre o teor da sentença judicial, ‘cabendo-lhe tão somente a manifestação oportuna nos autos’.

Nota de esclarecimento

Com relação à matéria noticiada pelo blog eletrônico Novo Jornal, envolvendo a ocorrência de uma indenização judicial ante a um suposto “caso de bullying” sofrido por um ex-aluno da Escola, cumpre ao Centro de Educação Integrada Mais Ltda. (Cei Mirassol) vir a público esclarecer e refutar a publicização de atos processuais envolvendo interesses de menores.

O Cei Mirassol não irá se manifestar publicamente sobre o teor da sentença judicial, cabendo-lhe tão somente a manifestação oportuna nos próprios autos, com a cautela e a prudência necessária ao caso em comento, respeitando principalmente a intimidade dos litigantes.

O Cei Mirassol discorda da interpretação dada pelo Juízo prolator da sentença ao caso mencionado, cuja irresignação o que fará em sede de recurso pertinente ao Juízo superior.

É dever do Cei Mirassol externar a sociedade norte-rio-grandense que jamais compactuou com a prática de qualquer tipo ou modalidade ou assédio entre seus alunos, principalmente em relação aos casos de “bullying”, primando pelo respeito às regras de urbanidade e ao respeito mútuo entre os educandos.

Publicidade

Comentários:

  1. Rosa Maria disse:

    Não irá se manifestar?
    E essa nota não já é um manifesto? Se a situação chegou a esse ponto a escola não tem a essa altura vir a se manifestar.
    É estranho um grupo de alunos se envolve em um problema é apenas um é punido pela escola? E logo aquele aluno com aparência diferenciada. É escola, a hora de se manifestar não é essa.

  2. Heineken disse:

    No meu tempo isso ai (bullying) nem existia.
    Era zoação mesmo, e ninguem fivaca de mimimi… Era quando o cara tinha q aprender a se defender de certos tipos de brincadeira.

  3. Lucineide Medeiros disse:

    Acredite se quiserem.