Publicidade

Lixo hospitalar não tem coleta em 60% das cidades do RN

A repórter Andrielle Mendes relata na Tribuna do Norte deste domingo que No Rio Grande do Norte, cerca de 60% dos municípios (98 de 167) envia o lixo hospitalar para lixões a céu aberto.

A média fica bem acima da regional (11,5%) e da nacional (15,4%). Os riscos dessa prática são potencialmente distribuídos para toda a população, não se limitando a catadores de resíduos ou a quem sobrevive de reciclagem de material.

O incidente com o Césio 137 em Goiania, no ano de 1987, ilustra bem as possibilidades de danos que existem por trás do descarte do lixo proveniente de hospitais, unidades de saúde, clínicas e necrotérios sem o devido cuidado e procedimentos previstos.

Em setembro daquele ano, Roberto Santos Alves e Wagner Mota Pereira, catadores de sucata, entraram nas antigas instalações do Instituto Goiano de Radioterapia, em Goiás, e saíram carregando um cilindro de ferro de mais de cem quilos.

Eles tentaram abrir o cilindro com uma marreta durante uma semana. Depois, venderam o cabeçote de uma bomba de Césio 137, usada em tratamento de câncer, para  Devair Alves Ferreira, dono de um ferro-velho. Devair   violou o lacre e encontrou uma pedra azul no interior do cilindro.

Ofereceu a ‘joia’ à mulher, distribuiu pequenos pedaços entre vizinhos e parentes. Pelo menos, onze pessoas morreram, 250 se contaminaram e 600 entraram para o grupo de risco em função do ‘espalhamento’ do Césio 137.

No Brasil, cerca de 60% dos resíduos de saúde coletados são descartados de maneira inadequada, em locais impróprios, trazendo risco à saúde pública, segundo a Associação Brasileira de empresas de Limpeza Pública (Abrelpe).

Clébio Azevedo, diretor da Serquip no RN – recentemente vendida para a Sterecycle e única autorizada a tratar o lixo hospitalar do estado – acredita, entretanto, que o índice no RN seja menor. Segundo ele, 80% dos ‘resíduos de serviços de saúde’ produzidos pelo estado são incinerados pela empresa.

Continue lendo

enviar comentário
Publicidade

Prefeitura de Canguaretama gasta R$ 234 mil com "material permanente"

Está no Blog de Ana Ruth Dantas, como é que a Prefeitura publica o extrato da compra e não detalha o que está comprando? Material permanente de que? Coisas de Canguaretama…

Segue:

A Prefeitura Municipal de Canguaretama gastará quase R$ 250 mil para equipar as secretarias. Foi firmado contrato com a empresa Incomel Indústria e Comércio de Madeira Ltda no valor de 234.000.

O extrato de publicação do contrato não esclarece o tempo do serviço e nem mesmo especifica o serviço definindo apenas que o dinheiro será para “Aquisição de material permanente que serão destinados para as secretarias municipais pertencentes a Prefeitura Municipal de Canguaretama”. O contrato foi assinado pelo prefeito Wellinson Carlos Dantas Ribeiro.

enviar comentário
Publicidade

Juiz indefere pedido de liberdade de Rychardson; irmão e mãe foram soltos

Preso desde o dia 12 de setembro no quartel da PM, quando foi deflagrada a Operação Pecado Capital, o advogado e ex-diretor do Ipem, Rychardson de Macedo teve negado a quarta tentativa de liberdade. O juiz federal Mário Jambo, contudo, deferiu o pedido de liberdade provisória para o irmão, Rhadson Macedo, e a mãe de Rychardson, Maria das Graças Bernardo.

Antes dessa tentativa, Rychardson teve negado três dispositivos, dois pelo Tribunal de Justiça do RN e dois pelo Superior Tribunal de Justiça.

Na semana passada, o juiz da 5ª Vara Criminal de Natal, José Armando Pontes, declinou competência do caso, que passou para a primeira instância da Justiça Federal. A defesa alegou que o caso era de interesse da União, já que os recursos envolvidos no processo são do Inmetro, autarquia do governo federal.

Não foi a única modificação do caso. Para a defesa de Rychardson foi contratado o advogado Durvaldo Varandas e a advogada Estefânia Ferreira de Souza, prima do ex-governador Iberê Ferreira de Souza e que já esteve cotada para assumir uma vaga no Superior Tribunal de Justiça (STJ), quando presidiu por dois mandatos a OAB-DF.

A Operação Pecado Capital foi deflagrada em setembro e apura irregularidades cometidas no Ipem no período de 2007 a 2010. Foram presos Rychardson e Rhandson de Macedo Bernardo, além de Daniel Vale Bezerra, Aécio Fernandes e Adriano Nogueira. José Bernardo, Maria das Graças Bernardo, pai e mãe dos irmãos Macedo, e Jeferson Witame também são acusados.

Entre os crimes investigados, estão peculato, formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e passiva, entre outros.

Além das prisões, a Operação Pecado Capital resultou no seqüestro judicial de quatro empresas: o Supermercado É show, a Casa do Pão de Queijo (loja do Carrefour), a Platinum Automóveis e o Restaurante Piazzale Mall.

enviar comentário
Publicidade

MPF ratifica denúncias contra os irmãos Macedo

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte apresentou à 2ª Vara da Justiça Federal manifestação que afirma a competência da Justiça Federal para julgar a causa e ratifica a denúncia apresentada pelo Ministério Público Estadual contra os envolvidos na Operação Pecado Capital. Além disso, o MPF se manifestou favorável à manutenção da prisão preventiva de Rychardson de Macedo Bernardo, Rhandson Rosário de Macedo Bernardo e Maria das Graças de Macedo Bernardo. Eles são acusados dos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, decorrente de esquema de desvio de verbas do Instituto de Pesos e Medidas (Ipem/RN).

O processo, que tramitava junto à 7ª Vara Criminal de Natal, foi remetido à Justiça Federal em 4 de novembro, em virtude da decisão do juiz estadual Armando Ponte. De acordo com o MPF/RN, a decisão do juiz é suficientemente clara nas suas razões para afirmar a competência da Justiça Federal. “Os crimes praticados pelos denunciados à frente do Ipem se davam em prejuízo do interesse do serviço do Inmetro, autarquia federal. Além disso, de acordo com informações do próprio Inmetro, as contas do Ipem são inseridas às contas do Inmetro, estando sujeitas à prestação de contas anual junto ao Tribunal de Contas da União”, destaca a manifestação.

Em relação à prisão dos acusados, para o Ministério Público Federal, ao contrário do que afirma a defesa dos acusados, a decretação das prisões preventivas dos três envolvidos se baseia na garantia da ordem pública e na conveniência da instrução criminal. “Não raras as vezes, os denunciados lançaram mão de expedientes escusos para atrapalhar o andamento das investigações levadas a efeito, tanto pelo Ministério Público quanto pela autoridade policial”, afirma o MPF.

Rychardson de Macedo Bernardo, Rhandson Rosário de Macedo Bernardo e Maria das Graças de Macedo Bernardo foram presos em virtude da Operação Pecado Capital, deflagrada em 12 de setembro pelo Ministério Público Estadual e Polícia Militar. O grupo foi denunciado pelos crimes de formação de quadrilha e lavagem de dinheiro, juntamente com outras seis pessoas – Adriano Flávio Cardoso Nogueira, Daniel Vale Bezerra, Aecio Aluizio Fernandes de Faria, Acácio Allan Fernandes Fortes e Jeferson Witame Gomes.  Caso recebida a denúncia pela Justiça Federal, o processo seguirá com a defesa dos réus e a instrução do processo até a final sentença.

enviar comentário
Publicidade

Projetos de mobilidade atrasam mais uma vez e Natal poderá perder investimentos

De um lado o Diário de Natal informa que a Prefeitura estendeu o prazo e só na segunda-feira entregará à Caixa Econômica o projetos do primeiro lote da mobilidade urbana  devidamente adequados – após o banco, o calhamaço técnico precisará ainda ser aprovado pelo Ministério das Cidades e a Secretaria do Tesouro Nacional.

De outro lado, o Novo Jornal levanta a discussão de que o segundo lote das obras de poderá ficar de fora do PAC da Copa – uma série de investimentos do governo federal para o setor e que colocou Natal na rota por ser sede do mundial.

Segundo o jornal, não há mais tempo para as seis obras dessa segunda etapa serem licitadas até março, limite anunciado pelo Governo Federal. Caso tudo dê certo, o processo licitatório só será finalizado em maio.

Assim não dá.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Wellington disse:

    Caro Bruno, estes problemas só ocorrem porque nossa camara de vereadores não tem atitudes que venha beneficiar a população, quem sabe um dia com vc lá teremos uma voz e atitudes para solucionar estes e outros problemas.

Publicidade

Prefeitura quer reduzir pela metade zona de exclusão da Fifa

Deu no Novo Jornal que a Prefeitura do Natal quer convencer a Fifa a recuar os limites da área de exclusão no entorno da Arena das Dunas.

Para quem ainda não sabe, a área de exclusão é um território que funcionará como embaixada, e cuja a Fifa será a soberana.

Num raio de 1,5 quilômetro tudo é território da federação durante a Copa do Mundo. As regras ficam mais rígidas em dias de jogos, quando o comércio contido dentro desse território terá de fechar, além de outras restrições.

De acordo com a publicação de Cassiano Arruda Câmara, a Semob quer convencer a Fifa a determinar essa área em conformidade com o perímetro do Carnatal, evento cuja logística de funcionamento se equipara ao que será demandado durante os jogos do mundial.

Para a Semob, vale arriscar de 1,5 quilômetro para 700 metros. Se der certo, o comércio agradece e ficará o exemplo de quem não se curvou às vontades de Josef Blatter.

Comentário (1) enviar comentário
  1. p!!! disse:

    essa copa ainda tá longe e já estou odiando-a !!!!

Publicidade

Rodrigo Cintra cai em contradição e rebate parecer da própria Prefeitura em depoimento à CEI dos Contratos

O depoimento do secretário municipal de Esportes, Rodrigo Cintra, à CEI dos Contratos foi marcado pela contradição – vexativa em dado ponto.

O ponto alto foi o contrato de R$ 1 milhão com a ONG “De Peito Aberto”. Cintra disse que o contrato era regular. O que ele não esperava era que a vereadora Júlia Arruda sacaria um parecer da PGM no qual era afirmado que o convênio estava eivado de vícios, tais como  falta de uma planilha de trabalho, a ausência de constitucionalidade na escolhas e as atividades sobreposta (indicação de que a organização faria o mesmo serviço dos técnicos da secretaria).

Cintra, que ficou constrangido, ainda se propôs a refutar o parecer, rebatendo cada ponto dado como irregular pela própria PGM. Acabou dizendo que o contrato não foi pago.

enviar comentário
Publicidade

Micarla desmente privatização de estacionamento

Passaram-se 48 horas, para a assessoria da Prefeita Micarla de Sousa enviar nota desautorizando, leia-se desmentindo, o secretário adjunto de Mobilidade Urbana.

Em reportagem na Tribuna do Norte, Haroldo Maia afirmou que teve acesso ao modelo de Estacionamento Eletrônico Rotativo durante os congressos e fóruns que participou como representante da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob). O modelo que seria proposto pela Secretaria em que Haroldo atua como adjunto, consiste num monitoramento eletrônico das vagas de estacionamento em ruas e avenidas. Através da cobrança de uma taxa, veículos e motocicletas teriam até duas horas para permanecerem estacionados nas vagas escolhidas.

Confira nota na íntegra:

 

NOTA

A Prefeitura de Natal não implantará sistemas de automatização de cobrança pelas vagas de estacionamento nas ruas da cidade. Não é interesse do poder executivo municipal resgatar o projeto de gestões anteriores cujos estacionamentos urbanos eram regulados por parquímetros. Qualquer iniciativa que envolva cobrança de taxas para estacionamento em vias públicas está descartada pela gestão municipal, por determinação da prefeita de Natal, Micarla de Sousa.   

 

– Interessante, é que a Prefeita foi procurada pela Reportagem para comentar sobre a decisão, o secretário municipal de Comunicação Social, Jean Valério, afirmou que Micarla estava viajando. “O que está na nota é o pensamento da Prefeitura”, resumiu o secretário.

Comentário (1) enviar comentário
  1. cecilia disse:

    Atenção p o trecho: "A Prefeitura de Natal não implantará…" podemos concluir que quem implantará será uma empresa privada!

Publicidade

Governo do Estado nega que entulhos de estádio sejam destinados para APA de Jenipabu

O assessor de Comunicação do Estado, o jornalista Alexandre Mulatinho, entrou em contato com o blog para contestar algumas coisas postas aqui.

Segundo ele, não procede a denúncia apresentada por Mineiro e Lucena. Entulhos do Machadão e Machadinho, garantiu o secretário, não estão sendo destinados à APA de Jenipabu.

Alexandre informou que as informações lhe foram passadas pelo secretário para Assuntos da Copa, Demétrio Torres.

 

enviar comentário
Publicidade

Promessa era que entulhos do Machadinho e Machadão seriam reaproveitados. E aí?

Perguntar não custa.

Foi o que fez o leitor que assinou como Marquinhos em matéria sobre o os entulhos do Machadão e Machadinho, que estão sendo depositados na APA de Jenipabu, conforme denúncia do deputado Fernando Mineiro e do vereador Fernando Lucena.

Lembrando que é dessa mesma APA, revelou o jornal Tribuna do Norte, que estão sendo retirada areia da para construir o estádio. O espaço, então, é duplamente penalizado.

Mas vamos à pergunta de Marquinhos.

Ele indagou: “o que é isso meu Deus, o entulho não ia ser reaproveitado?”

Correto. O ENTULHO NÃO IRIA SER REAPROVEITADO?

Assim, pelo menos anunciaram Rosalba e Demétrio Torres, da Secopa.

E aí? Como fica?

Comentários (2) enviar comentário
  1. Rok disse:

    vergonha! q lixo de copa! Brasil mais uma vez mostrando as suas qualidades!

  2. Pmder disse:

    O entulho está sendo reaproveitado sim. Eu posso dizer o que vejo com meus olhos.
    Ps. Não sou do governo, não trabalho no Arena das Dunas

Publicidade

1/3 das mulheres fazem sexo com amigos, indica estudo

Uma pesquisa realizada pelo site MyCelebrityFashion, do Reino Unido, aponta que uma em cada três mulheres solteiras já foi para a cama com um amigo.

As 2.168 entrevistadas especificaram o tipo de relação que têm com os amigos do sexo masculino, sendo que 62% disseram que são realmente “apenas amigos” e 34% admitiram ter amigos com benefícios.

Metade das que confirmam usufruir de uma amizade colorida investe nela porque não quer um relacionamento sério. Entre os números desse grupo estão que 19% transam para se divertir, enquanto apenas 8% se entregam na esperança de conseguir algo a mais.

Segundo o jornal Daily Mail, especialistas acreditam que o aumento da popularidade do amigo com benefícios é devido à atual falta de pressa das mulheres em relação a envolvimentos mais sérios.

Eu particularmente – e não, não é preconceito – acho que as mulheres estão se atirando mais com os amigos porque o mercado masculino anda meio… diversificado, digamos.

O que vocês acham?

 

Comentários (3) enviar comentário
  1. Vevecris disse:

    Porque conhecendo os amigos sabem que são "limpinhos"….talvez seja isso.

  2. Carlos Eduardo disse:

    Por acaso vc já viu alguém fazer sexo com inimigo? KKKKKKKKK

  3. edu disse:

    e o restante fazem com os inimigos é? 

Publicidade

OAS solicita que empresa suspenda extração de areia em Jenipabu

Deu na Tribuna do Norte

O consórcio OAS-Coesa, que ganhou a concorrência pública para construir o estádio Arenas das Dunas, solicitou nesta sexta-feira (11), que a empresa J.C Oliveira Ltda suspenda extração de areia, saibro e argila da área conhecida como “Buraco do Correia”, à margem da estrada Professora Alice Rodrigues. O local, que fica próximo ao Rio Doce, em Extremoz, é alvo de litígio judicial com o Idema, que considera o terreno como parte da Área de Proteção Ambiental de Jenipabu.

Em matéria veiculada com exclusividade pela TRIBUNA DO NORTE na manhã desta sexta-feira, a forma como está sendo abastecida parte da obra da Arena das Dunas foi exposta. Depois não não conseguir a renovação da licença ambiental para a exploração da área, que ocorre há mais de 20 anos, a J.C Oliveira Ltda conseguiu liminar do juiz Ibanez Monteiro da Silva, de agosto deste ano, garantindo a continuidade dos trabalhos de extração até que o mérito da disputa judicial seja julgado.

Até o momento, o Ministério Público não se posicionou sobre a questão. O promotor Márcio Luiz Diógenes, responsável pelo acompanhamento das obras da Arena das Duna, fará uma visita ao Buraco do Correia na segunda-feira (14), acompanhado por técnicos do Idema, e só depois o MP vai opinar sobre a situação

enviar comentário
Publicidade