QUEM DIRIA: CUT lança programa de demissão, e funcionários ameaçam greve

Resultado de imagem para CUT

POR FOLHAPRESS

Funcionários da CUT (Central Única dos Trabalhadores) ameaçaram entrar em greve nesta semana, depois que a entidade iniciou na terça-feira (14) um Programa de Demissão Incentivada (PDI) para enxugar em quase 60% sua folha de pagamento.

A entidade, com 178 empregados, se diz asfixiada pelo governo Michel Temer, que, com a reforma trabalhista, acabou com a obrigatoriedade do imposto sindical. O tributo, que equivale a um dia de trabalho, é um dos principais recursos das centrais.

Embora a cúpula da entidade afirme ter consultada seus trabalhadores sobre os critérios de exoneração, os funcionários chegaram a anunciar a deflagração de uma greve.

O presidente da central, Vagner Freitas, diz desconhecer o movimento. Queixando-se de perseguição política, Freitas informa ainda que o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares aderiu voluntariamente ao programa, abrindo mão de um salário de R$ 15 mil.

“Delúbio é um trabalhador da CUT. Agrega muito. É com muita dor que informo que ele tomou a iniciativa de aderir”, disse Freitas, lembrando que a contratação do ex-tesoureiro (condenado por corrupção ativa no julgamento do mensalão) foi autorizada por Joaquim Barbosa, então ministro do Supremo.

A direção da CUT argumenta que o plano de demissão de funcionários foi uma resposta ao fim do imposto sindical obrigatório. De acordo com Freitas, a redução permitirá a manutenção das atividades da central.

Ele não informou qual o impacto da medida adotada pelo governo Temer nos cofres da entidade nem o orçamento global da entidade. Em 2016, ela recebeu R$ 59,8 milhões da contribuição.

O presidente da CUT afirma ainda que o enxugamento da folha foi submetido à assembleia de trabalhadores após prévia apresentação de uma proposta da direção.

“Diferentemente das empresas, os trabalhadores foram consultados. Não é um momento de felicidade”, diz.

O PDI será encerrado em 4 de dezembro e, caso não tenha adesão dos trabalhadores, será iniciado um processo de demissão até que se chegue ao percentual desejado.

Freitas alega que as medidas garantirão ações de enfrentamento com o governo Temer. Um carro de som fornecido pela entidade acompanhou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na caravana que protagonizou pelo interior de Minas Gerais.

Publicidade

Comentários:

  1. paulo martins disse:

    Casa de ferreiro, espeto de pau.

  2. Capitão caverna disse:

    Parabens ao presidente Temer. Pense num cabra arrochado e de coragem. Acabou a boquinha 👏😜😜😜😜

  3. Waldemir disse:

    Kkkkk e agora isso é legal
    Kkkkkk o Brasil começou à certar tem que acabar com esses baderneiros e também o MST MSTS e outros Ms que só faz quebradeira e quer que o país pare
    Qualquer M deveria ter responsáveis para pagar quando eles dão prejuízo
    Pois nas empresas e assim se uma empresa de prejuízo a população ela é obrigada a pagar o prejuízo

  4. Bismarck Pereira Satiro disse:

    Ufaaaa. Até que enfim, o Brasil começando a dá certo. Agora vai…A CUT está assim, imagina o Sindicato das Pessoas que só se vestem de Azul….kkkkkkk

  5. CURITIBA JÁ disse:

    acabou a mamata ! agora vão ter que trabalharkkkkkkkkkkkk

  6. Fran disse:

    Para entender melhor essa situação é tipo assim: O Satanás processando o inferno.

  7. Observador disse:

    Kkkkkkkk rebanho de pelegos…

  8. Flávio Rezende disse:

    Para os seus trabalhadores falta grana, mas para atividades políticas partidárias não. A CUT virou um partido e bem que podia substituir o PT, outro em vias de falência. Que situação rapaz…