Situação dos carroceiros em Natal volta à pauta de debates na Câmara Municipal

Fotos Verônica Macedo

No limite entre a defesa do bem-estar animal e a preservação da fonte de renda familiar, a utilização de carroças para transportes de carga no espaço urbano vem sendo bastante debatida nos últimos anos. Em maio, a Câmara Municipal de Natal deu parecer favorável a um projeto de lei encaminhado pelo Executivo sobre o tema, propondo a redução gradativa do uso de veículos de tração animal e o direcionamento dos carroceiros a outros postos de trabalho. Todavia, passados quase cinco meses da aprovação, a efetivação da lei segue incerta. Por este motivo, o vereador Sandro Pimentel (Psol) reuniu, nesta sexta-feira (20), representantes dos órgãos competentes e segmentos sociais envolvidos na questão para tentar resolver o impasse.

A diretora do Departamento de Desenvolvimento e Qualificação Profissional da Semtas, Margarete Pereira, falou sobre as políticas sociais inclusivas promovidas pela Prefeitura a fim de apresentar alternativas aos trabalhadores, para que tenham uma vida profissional digna. “Não estamos parados. Pelo contrário, trabalhamos intensamente para cumprir o prazo de dois anos para a completa retirada das carroças, em maio de 2018. Para tanto, inúmeros cursos de capacitação e programas de geração de emprego estão sendo ofertados para substituir essa fonte de renda das famílias. Trata-se de fornecer as condições para que todos possam fazer o processo de transição da melhor forma possível”, ressaltou.

“Temos em comum o desejo de encontrar a melhor maneira de processar o lixo da cidade, assegurando o sustento dos carroceiros. O que não podemos aceitar, de jeito nenhum, é a retirada do ganha-pão de centenas de famílias sem uma clara contrapartida. No entanto, acredito que todos estão cientes do impacto social que tudo isso representa e terão a devida sensibilidade para administrar a situação. Estamos dispostos a dar um crédito de confiança”, ponderou Adriano de Brito, presidente da Associação dos Carroceiros de Natal.

Herberth Augusto Sena, gerente de Meio Ambiente e Educação Ambiental da Urbana, falou sobre a remoção dos pontos de acúmulo de lixo espalhados na capital potiguar. “Com o fim da utilização do transporte de tração animal, vamos implantar diversos ecopontos para receber material reciclável, podas e resíduos da construção civil. Trata-se de uma forma de combater o descarte de lixo nas calçadas, cantos de muros e terrenos baldios. O serviço é gratuito e operado por funcionários da Prefeitura. Atualmente, temos três ecopontos em funcionamento. Ao todo serão, em breve, 17 ecopontos”.

Diante da complexidade do tema, o vereador Sandro Pimentel disse que é importante ouvir as partes interessadas e, assim, avaliar o andamento da proposta. “A audiência foi participativa e esclarecedora. Foram colocados elementos importantes para a concretização das metas estabelecidas, bem como as dificuldades para localizar os carroceiros”, avaliou o parlamentar. “Deixamos um encaminhamento importante: dia 11 de novembro faremos a primeira ação de cadastramento. Porque a Semtas alega que os carroceiros não vão se cadastrar e os carroceiros encontram dificuldades para comparecer pela falta de tempo. Então, vamos fazer os cadastros perto das casas das pessoas, por região, começando pela zona norte”, informou.

 

 

Publicidade

Comentários:

  1. ELIZABETE disse:

    E um absurdo pessoas ainda quererem insistir colocar nas ruas de Natal, carroceiros trafegando, colocando a própria vida em risco, a vida dos animais, a vida de motoristas, motoqueiros e ainda atrapalhando o trafego que hoje é um gerador de estresse, uma doença que tem causados danos fisicos , morais e principalmente psicológico. Natal não é mais uma cidade de 50 anos atrás, ja estar mais do que na hora dos gestores olharem nao para o presente e sim para o futuro.

  2. Brasil Desmoralizado disse:

    Então vão acabar com o hipismo? Tem idéia quanto custa uma caçamba para retirada de entulhos? Quer dizer que nossa população muito educada vai contratar caçambas para dispensar seus pequenos lixos? As empresas que colocam caçambas vão retirar gratuitamente os entulhos? Por acaso alguém vai ganhar dinheiro acabando com os carroceiros? Será que os carroceiros profissionais comprarão um caminhão e contratarão funcionários com carteira assinada para a remoção do lixo? VÃO ACABAR COM MAIS UM GANHA-PÃO! A informalidade faz parte do subdesenvolvimento. Primeiro precisaremos educar o povo para ensinar-lhes a votar. Depois temos um monte de coisas a serem feitas até pensarmos nestes detalhes. Tenham pena desses pobres coitados que precisam colocar comida na mesa para suas famílias!

  3. Luciana Morais Gama disse:

    Cadê o Ministério Público???

  4. Paulo disse:

    BG.
    Tem que arranjar uma solução, não é possível as ruas e Avenidas com esse tipo de transporte tumultuado o trânsito e provocando acidentes, Além de transportarem lixo, resto de construções e poda de árvores jogando em todo canto.

    • ELIZABETE disse:

      Concordo amigo , alem do mais tem a questão de jogarem lixo em qualquer lugar, contribuindo para a poluição do meio ambiente, aquele que pensar em fazer uma construção ou reforma em sua casa lembre-se de colocar em seu orçamento a locação de caçamba de transportar entulhos. Sabemos que mudanças, transformações terão que acontecerem na cidade. Todos tem direito de ganhar o pao nosso de cada dia, mas nao pondo sua vida em risco e nem atrapalhando a vidas de outros. A mesma coisa sao bares que nos finais de semanas ligavam seus aparelhos de som, desrespeitando o sossego de vizinhos.

  5. Adler disse:

    Se pelo menos educassem os carroceiros a não colocarem lixos em locais impróprios!
    Assisti estarrecido semanas atrás um vizinho contratar um carroceiro que simplesmente coletou os resíduos, jogo-os na rua de trás da casa do morador e veio buscar nova carrada e assim sucessivamente.
    Quando eu mostrei ao contratante ele cinicamente me falou:" economizei e agora o lixo não é mais de minha responsabilidade."