Publicidade

Denúncia: Parnamirim compromete arrecadação por fins políticos?

Segundo uma denúncia recebida por um servidor da Secretaria de Tributação de Parnamirim que não quis se identificar, a secretária adjunta Kathia Palhano impôs férias coletivas para os 18 auditores fiscais do município. Sem motivo aparente e sem consulta aos servidores, a equipe foi dividida em duas e suas férias agendadas para os meses de agosto e setembro, justamente nas vésperas da eleição.

Ainda de acordo com o servidor, o prefeito Maurício Marques estaria mais preocupado com a eleição do seu candidato, Naur Ferreira, do que com a arrecadação do município. Já que a fiscalização e as multas aplicadas pelo fisco poderiam comprometer seu eleitorado e prejudicar ainda mais a imagem de Naur, que aparece nas pesquisas com o maior índice de rejeição entre seus concorrentes.

Com a redução da equipe de auditores, a arrecadação da cidade terá uma queda vertiginosa, agravando mais ainda a crise financeira do município. Crise essa, que já comprometeu o pagamento da primeira parcela do 13º salário de mais de 40% dos servidores municipais. Em um vídeo divulgado nas redes sociais, Maurício se compromete a pagar o benefício no final de setembro, justamente na véspera das eleições.

Comentários (18) enviar comentário
  1. Belmari disse:

    Manobra política para tentar eleger o seu candidato. Pessoas com pensamentos retrógrados assumindo uma secretaria tão importante que é a tributação. Auditores não baixem a cabeça, momento como esse merece união e muita luta.

    • Jones Ferreira disse:

      Retrógrados e desqualificados! Segundo o art. 37,XXII da CF, a tributação deve ser ocupada por concursados…. isso sem falar que a formação dos chefes em nada tem a ver com a atividade fim, lá tem matemático, pedagogo e gente sem graduação tb! O despreparo é geral, quem assumiu a Secretaria foi um coordenador, já que o titular está afastado, pois a adjunta amarelo….. parece que ela não se sente competente para isso, mas para que serve adjunto mesmo??

  2. Manual disse:

    Esse prefeito não está nem aí para nós, depois diz que não tem dinheiro para merenda das crianças! Eita prefeitim ruim! Cadê o kite dengue?

  3. lucas disse:

    Isso é uma palhaçada, parnamirim precisa fazer concurso e tirar esses gabides de emprego (cargos) qie não sabem de nada.

    • jones ferreira disse:

      Lucas, ao contrário do concurso da Saúde e Trânsito, o concurso de 2012 para a Tributação não foi prorrogado, sendo o mesmo edital…por intransigência do secretário de Tributação não houve mais nomeações, o q poderia aumentar a arrecadação consideravelmente! Os primeiros colocados da reserva ajuizaram ação para tirar a Secretária Adjunta ( q, por incrível q pareça, não substituiu o Secretário Jacaúna q está afastado! Nomearam para o lugar dele um coordenador! ) , os coordenadores e gerentes de lá!

    • Juliane Rebouças disse:

      Eles gostam de manter um monte de capacho bajulando mesmo! Ego inflado Denuncias na tributacao sao d+.. dizem que mandam ate olhar o que o povo joga no lixeiro!! Digaí galerinha!! Qm for parnamirinense e quiset concurso n vote em maumau

  4. Barbosa disse:

    Rapaz, agora as coisas começaram a aparecer!!! cidade grande com gente que pensa pequeno na gestão! ou melhor, que nem conhecimento tem para estar a frente. Se o prefeito e a adjunta faz isso com o grupo do Fisco, que é quem arrecada, imagine com as demais categorias!!! Vergonha!

  5. Val Lima disse:

    Rapaz, imagino q o "menino" vai ganhar a prefeitura….

  6. M. Ares disse:

    Complicado essa situação, de duas uma, ou a prefeitura não está em crise, pois nem está aí para arrecadação, ou o todo poderoso prefeito, está mentindo, falando que a prefeitura está em crise… é o retrato da atual administração, nem aí para população, com objetivo de um projeto político que não deu e não vai dá certo, acorda população a hora é essa da mudança! Como Parnamirim vai crescer com um grupo desse?

  7. Rob disse:

    E a população sofre com os buracos e falta de infra estrutura em todos os aspectos.
    Nova Parnamirim que mais arrecada para o município é que mais sofre.
    Nada adianta Natal completar o saneamento se Nova Parnamirim continuar sem.

  8. Juliane Rebouças disse:

    Essa sra não é aquela que responde um processo de assedio moral? Vi ela gritando com funcionarios la dentro… um vexame

  9. fontes disse:

    Fui na secretaria de tributação um dia desses rever meu iptu, e fui atendida por um fiscal que os coordenadores eram todos comissionados, por isso q o atendimento lá é péssimo, ninguém sabe de nada. Só quem perde é q população.

  10. Flauberto Wagner disse:

    A resposta tem que ser simples e objetiva, é só não vota do candidato de Mauricinho e seus capas pretas.
    Tem muito coelho nesse mato, ou melhor, carroço nesse angú.
    Sou morador e eleitor de Parnamirim e sou oposição ao seu bloco e aos seus desmandos, antes que seja tarde "Liberta Parnamirim".

  11. Flavio Soares disse:

    Eita puteiro grande… tira a galera que multa de cena pra depois das eleicoes meter o cacete…. IPTU do proximo ano usará o m2 do leblon?

  12. Hamilton disse:

    Ué, diz que tá em crise sem dinheiro pra pagar o 13 dos funcionários e por outro lado dá férias a quem arrecada? Essa história ta fedendo muito!
    Parnamirim é um interiorzao mesmo onde se manda e desmanda. Acorda população! Acorda MP!

  13. Antonio disse:

    Arbitrariedade e falta de profissionalismo, secretaria essa com chefes inertes e ausentes pouco preocupados com a " coisa pública". Coisa de gente mesquinha que se não fosse por indicação e puxa saquismo nem emprego teria.

    • jones ferreira disse:

      Estamos brigando para tirá-los! A Câmara de Vereadores já sabe desse problema de falta de fiscais e não fez nada, principalmente a maioria; o Presidente Ricardo Gurgel disse q isso irá mudar, caso ele ganhe!

  14. Letícia disse:

    Isso é o mínimo dos abusos que acontecem na terra de ninguém que é Parnamirim

Publicidade

PGR recebe quase 18 mil reclamações e decide apurar conduta de Bolsonaro

size_810_16_9_jair-bolsonaroA Procuradoria-Geral da República (PGR) decidiu investigar a conduta do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) após receber 17,8 mil reclamações de cidadãos que criticaram a conduta do parlamentar durante a votação da abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff, no último domingo (17).

Em breve discurso antes de votar a favor da abertura do impeachment, Bolsonaro exaltou o coronel Carlos Brilhante Ustra, um dos maiores torturadores da ditadura militar brasileira, falecido no ano passado.

As reclamações foram recebidas em todo o país por meio de um serviço eletrônico do Ministério Público Federal (MPF) que permite aos cidadãos denunciar qualquer tipo de crime.

O procedimento aberto pela PGR será analisado pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, porque Bolsonaro é deputado. Como parlamentar, ele também tem direito ao foro de julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF).

Comentários (16) enviar comentário
  1. Rosaldo disse:

    Montaram uma campanha, tipo BBB, para denunciá-lo? Convenhamos que, quase 18 mil ligações, em 3 dias, só com uma estrutura muito grande.

  2. Nelson Tavares disse:

    Para dá jeito no brazil só os Militares!!

    • Bruno Bezerril disse:

      verdade! começando pela falta de liberdade q vc msm tem de opinar em qualquer assunto!! ditadura ja!! #sqn

  3. Nelson Tavares disse:

    No viado ninguém mexe ???

    • Bruno Bezerril disse:

      Só o q fazem, Bolsonaro é ridiculo e mais ridiculo ainda é qm o idolatra!!

  4. João disse:

    Fazer apologia ao crime de tortura perpetrado pela ditadura militar não pode ser tolerado em canto nenhum, quanto mais dentro da mais alta casa legislativa do país.
    Esse senhor devia perder o mandato. Pois foi por isso que o povo foi as ruas pelas DIRETAS JÁ: O FIM DA DITADURA MILITAR!

    • João disse:

      Quanta imparcialidade hein, e os que citaram Marighela, Fidel e cia? Procure saber mais sobre história, e aí, quem sabe, sua opinião se torne relevante.

  5. Brasil, Meu país NÃO será dos fascistas! disse:

    Um fascista desse ter 8% de intenção de votos mostra como está tudo ao contrário.

  6. Gercivan oliveira disse:

    Amigos, Estou totalmente a favor de Bolsonaro, na minha opinião temos q enaltecer esses caras q lutaram por um Brasil contra os terrorista.
    Terroristas, ladrões, assassinos, eles sequestraram dono de empresas para pedir resgate, roubavam carros, E colocavam bombas para matar pessoas inocentes.
    Como diz Bolsonaro; BANDIDOS, BANDIDOS BANDIDOS….

  7. Daniel disse:

    E os deputados que citaram Marighela, Fidel e etc. Serão investigados?

    • paulo disse:

      Essa esquerdopata Brasileira, não olha o próprio RABO, muitos atuaram como TERRORISTAS, ASSALTANTES mais agora são uns santinhos.

  8. Marcelo disse:

    Um deputado dedicou seu amado voto a assassinos de esquerda e ninguém falou nada… Estranho… Muito estranho…

  9. Francinildo Fernandes disse:

    Liberdade de expressão sim, mad ele não tem i direito nem c homem público ou c simples cidadão de relembrar nem fazer alusão a pessoas q cometeram crimes bárbaros contra a humanidade.penso assim.

  10. jailson disse:

    Não entendo o que é liberdade, se o direito de liberdade existe, deve ser total, praticar crime no Brasil hoje é mais aceito, do que mesmo expressar seu gosto ou desejo

  11. peter disse:

    E se a homenagem fosse para;Stalin,Che,Fidel,Mao,Kmer vermelho,Kim, sendero luminoso,colina.

  12. EDER disse:

    TEMOS QUE COROA-LO DE BOSTA, PARA QUE ENFIM , JAIR SEJA REALMENTE BOSTONARO

Publicidade

Agência confirma que recebeu R$ 6 milhões ilegalmente da campanha de Dilma

Dilma-Rousseff2A publicitária Danielle Fonteles, dona da agência de comunicação Pepper Interativa, confirmou em acordo de delação premiada que recebeu R$ 6,1 milhões de forma ilegal referentes a serviços prestados à campanha de Dilma Rousseff (PT) em 2010.

O valor, segundo ela informou às autoridades, foi pago pela empreiteira Andrade Gutierrez por meio de um contrato celebrado em janeiro de 2010.

A versão corrobora pela primeira vez de maneira oficial o teor do depoimento de Otávio Azevedo, ex-presidente da empreiteira, que contou, também em delação, ter pago à Pepper essa quantia a pedido da campanha de Dilma. A presidente tem negado qualquer ilegalidade.

Segundo a publicitária, sua empresa bancou despesas da campanha de Dilma em 2010, como pagamento de funcionários do comitê da petista, com recursos repassados à Pepper pela construtora Andrade Gutierrez.

Além desses R$ 6,1 milhões pagos por fora, a Pepper recebeu R$ 6,4 milhões oficialmente da campanha da petista. A publicitária afirmou às autoridades que os serviços ligados ao contrato paralelo com a empreiteira foram prestados. A expectativa é que esse trecho da delação seja enviado ao STF (Supremo Tribunal Federal), em razão de Dilma ter foro privilegiado.

Daniele Fonteles já prestou alguns depoimentos e o termo de colaboração com as investigações está em fase final de ajustes entre ela, o Ministério Público Federal e o STJ (Superior Tribunal de Justiça).

O tesoureiro da campanha presidencial de 2010, José de Filippi Júnior, nega irregularidades. Segundo sua defesa, “tudo foi feito de maneira legal, legítima e não houve fraude” na relação com a Andrade Gutierrez.

Segundo a Folha apurou, em um dos capítulos da delação, a dona da Pepper confirma que recebeu R$ 717 mil da empreiteira OAS em 2014, mas diz que o dinheiro foi pago por serviços ligados à campanha do petista Rui Costa ao governo da Bahia, sem ter relação com Dilma. Na campanha daquele ano, a Pepper cuidou da página da presidente no Facebook.

A publicitária disse, em sua colaboração com a Justiça, que foi orientada pelo petista Fernando Pimentel a firmar o contrato de R$ 6,1 milhões com a Andrade Gutierrez para a campanha de 2010. Hoje governador de Minas, Pimentel foi um dos principais coordenadores da primeira fase da campanha presidencial de Dilma naquele ano.

Depois, as ordenações de despesas ficaram a cargo da equipe de Antonio Palocci, um dos principais coordenadores da campanha de Dilma na época. Tanto Palocci como Pimentel negam irregularidades nas contas da campanha de Dilma em sua primeira disputa presidencial.

A delação premiada da dona da Pepper foi fechada com a Procuradoria-Geral da República em torno da Operação Acrônimo, que apura suspeita de um esquema de desvio de dinheiro público para campanhas políticas do PT. Caberá ao ministro Herman Benjamin, relator da Acrônimo, homologar o acordo com a publicitária.

Na negociação com as autoridades, Danielle Fonteles comprometeu-se ainda a entregar informações sobre a atuação de Benedito Rodrigues Oliveira Neto, o Bené, espécie de operador de partidos políticos, sobretudo do PT, na Esplanada.

A Operação Acrônimo foi deflagrada em 2015 e apura irregularidades no financiamento e na prestação de contas da campanha de Pimentel ao ao Palácio da Liberdade, em 2014, e eventual favorecimento a empresas com empréstimos do BNDES, subordinado ao Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, pasta que foi comandada pelo governador.

Fonte: Folhapress

Comentários (2) enviar comentário
  1. paulo disse:

    BG
    Pense numa Tereza de Calcutá, coitadinha não sabe de nada, não viu nada , não ouvi-o nada e por isso não sabe ainda que o instituto do IMPEACHMENT existe na constituição. Ou bocado de mau caráter dissimulados e CÍNICOS.

  2. Val Lima disse:

    Isso tudo é GOLPE!!!!!….kkkkkkkkkkll

Publicidade

PF conclui inquéritos que investigam 4 deputados e 2 ex-deputados do PP

A Polícia Federal informou ter concluído nesta segunda-feira (21) quatro inquéritos da Operação Lava Jato envolvendo os ex-deputados João Pizzolatti (PP-SC) e Mário Negromonte (PP-BA) e os deputados federais Mario Negromonte Junior (PP-BA), José Otávio Germano (PP-RS), Luiz Fernando Ramos Faria (PP-MG) e Roberto Pereira de Britto (PP-BA).

Nota divulgada pela assessoria da PF não informa quais são os crimes atribuídos a cada um dos investigados.

Segundo apuraram o G1 e a TV Globo, a todos foram imputados os crimes de corrupção passiva qualificada, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A Mario Negromonte Filho também é atribuído o crime de ameaça.
O G1 busca contato com os parlamentares e ex-parlamentares alvos da investigação.

Segundo informou a PF, os inquéritos foram enviados nesta segunda para o Supremo Tribunal Federal (STF), que supervisiona as investigações, junto com todo o material colhido na investigação. Agora, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, decidirá se apresentará denúncia ao Supremo.

De acordo com a nota divulgada pela PF, os inquéritos apuravam o envolvimento de políticos em possíveis crimes de corrupção e desvio de recursos da Diretoria de Abastecimento da Petrobras.

Foram colhidas provas em buscas e apreensões, e também por meio de testemunhas, documentos, diligências de campo e relatórios de análise de inteligência.

Segundo a TV Globo apurou, os policiais federais concluíram que os ex-deputados e ex-líderes do PP na Câmara João Pizzolatti e Mário Negromonte chefiaram uma organização que, durante oito anos, desviou aproximadamente R$ 500 milhões da Petrobras por meio de doações eleitorais fraudulentas e custeio de despesas pessoais.

Fonte: G1

enviar comentário
Publicidade

Supremo autoriza 7º inquérito na Lava Jato para investigar Renan Calheiros

renan-calheirosO ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), atendeu a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e determinou a instauração do sétimo inquérito para investigar o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), na Operação Lava Jato, que apura um esquema de corrupção que atuava na Petrobras.
Renan Calheiros já é alvo de outras seis investigações em andamento sobre a Lava Jato no Supremo.

A procuradoria quer apurar se o senador cometeu crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro em razão de suspeitas apontadas pelo delator Carlos Alexandre de Souza Rocha, o Ceará.

Para a PGR, há suspeita de repasse, “de forma oculta e disfarçada, de vantagem pecuniária indevida ao parlamentar”.

A assessoria de imprensa do presidente do Senado afirmou que Renan Calheiros não conhece Ceará nem o doleiro Alberto Youssef, “que já afirmou em depoimento não conhecer o senador”.

A assessoria disse ainda que o senador está à disposição das autoridades para esclarecer quaisquer assuntos.
Na delação, Ceará afirmou que, entre 2009 e 2014 – não se lembra exatamente em qual ano – “houve um movimento no Congresso Nacional para instalação de uma CPI da Petrobras” e que ouviu Alberto Yousseff dizer que daria R$ 2 milhões a Renan para evitar a instalação.

Segundo o delator, entre janeiro e fevereiro de 2014, Youssef disse a ele para pegar R$ 1 milhão em Recife (PE) e levar para Renan em Maceió. O dinheiro seria parte de dívida da construtora Camargo Corrêa com Youssef.
Ceará relatou aos investigadores que Youssef mandou que ele procurasse uma pessoa em hotel de Boa Viagem, e que era um homem “arrogante” que lhe entregou uma caixa de dinheiro. Disse que, pelo peso, o entregador percebeu que, dentro, não havia R$ 1 milhão e, ao ser questionado, o homem teria afirmado que havia a metade, R$ 500 mil.
De acordo com o delator, o dinheiro foi entregue a um “homem elegante” no Hotel Meliá, em Maceió, que já havia recebido quantia em Curitiba.

Na outra semana, mais R$ 500 mil teriam sido repassados pelo “homem arrogante e nervoso”. Depois, em Sâo Paulo, Youssef afirmou – conforme o relato de Ceará – que o dinheiro era para Renan Calheiros. O entregador afirmou não saber o motivo do repasse.

Fonte: G1

Comentários (2) enviar comentário
  1. sergio dias disse:

    Agora pergunto, porque abrir sete processos(conta de mentiroso), se só um dá para derrubar esse senador. Será que é o famoso, empurrar com a barriga?
    Já que tem sete, quais são as acusações?

  2. paulo disse:

    BG
    Como é que um individuo deste pode estar a frente do congresso. Isto é um escarnio com o CIDADÃO BRASILEIRO, ele tem que ser cassado junto com os outros e ter seus "bens" CONFISCADOS e devolvido a NAÇÃO BRASILEIRA.

Publicidade

Supremo aceita denúncia contra Eduardo Cunha na Lava Jato

STFA maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) aceitou nesta quarta-feira (2) o recebimento parcial de uma denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pelo suposto recebimento de US$ 5 milhões de propina do esquema de corrupção que atuava na Petrobras.

Dos 11 ministros da Corte, 6 votaram nesta quarta a favor da abertura da ação penal contra o deputado. Outros cinco magistrados irão votar nesta quinta-feira (3).

Na sessão desta quarta, além do relator do caso, Teori Zavascki, votaram a favor da abertura da ação penal os ministros Cármen Lúcia, Marco Aurélio Mello, Luís Roberto Barroso, Luiz Fachin e Rosa Weber.

O julgamento será retomado nesta quinta (3) com os votos dos ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes, Celso de Mello e Ricardo Lewandowski. Luiz Fux está fora do país e não deve participar do julgamento.

Ao acolher parte da denúncia, Teori Zavascki afirmou haver indícios “robustos” de que Cunha aderiu à “engrenagem espúria” do esquema de pagamento de propina que atuava na Petrobras.

“Há indícios robustos para, nesses termos, receber parcialmente a denúncia pois a narrativa em seu segundo momento dá conta que Eduardo Cunha, procurado por Fernando Baiano, aderiu para recebimento para si e concorrendo para recebimento de Fernando, oriunda da propina destinada a diretores da estatal”, ressaltou Teori durante seu voto.
“Elementos confortam sobejamento do crime de corrupção passiva, majorado ao menos na qualidade de partícipe por parte do deputado Eduardo Cunha para se incorporar à engrenagem espúria de Nestor Cerveró”, complementou o relator.

A acusação da Procuradoria Geral da República (PGR) aponta que Cunha recebeu, entre 2006 e 2012, “ao menos” US$ 5 milhões para “facilitar e viabilizar” a contratação de dois navios-sonda pela Petrobras, construídos pelo estaleiro sul-coreano Samsung Heavy Industries para operar no Golfo do México e na África.

A defesa de Cunha contesta as acusações e sustenta que os depoimentos de seu principal delator, Júlio Camargo foram tomados sob pressão da PGR e que ele mentiu. Além disso, os advogados do presidente da Câmara argumentam que ele não tinha influência sobre a diretoria internacional da Petrobras para facilitar a contratação, entre 2006 e 2007, além de não conhecer, nesta época, outros envolvidos nas negociações.

Fonte: G1

Comentários (6) enviar comentário
  1. Antônio Silva disse:

    Vcs já notaram que esse pessoal empoleirado na Assembléia Legislativa é tudo "Paneleiro"?

  2. Val Lima disse:

    Eu quero saber qdo vai chegar a hora do Renan??!!!

  3. Sandro Múcio disse:

    Até o encerramento dos votos qualquer um dos ministros pode mudar o voto. Os que ainda não votaram podem apresentar argumentos que façam os outros mudarem. Portanto, a informação não está correta. Até o momento Cunha perde por 6 x 0, mas ainda pode virar o jogo.

  4. Povo disse:

    Prezado Bruno,

    Gostaria de esclarecimentos sobre o seu trabalho na AL-RN que o rende um humilde salário bruto de R$ 10.481,17.

    Grato,

    O povo.

    • bruno disse:

      OI Povo, tem vários esclarecimentos, no próprio blog, nas nossas redes sociais tb. Valeu Povo.

Publicidade

Câmara de Parnamirim investigará denúncias contra Carlos Augusto envolvendo o Deoclécio Marques

Carlos Augusto MaiaA Câmara Municipal de Parnamirim aceitou, na tarde desta segunda-feira (29), uma denúncia de que o deputado estadual Carlos Augusto Maia estaria utilizando o Hospital Deoclécio Marques como moeda política. O tema foi pauta na sessão ordinária e os vereadores prometem investigar a fundo a acusação.

Segundo informações da Câmara, funcionários da unidade afirmam que o deputado possui dois leitos reservados para pacientes indicados por ele. Áudios supostamente de pacientes e funcionários indignados com a situação foram compartilhados em redes sociais, o que motivou as discussões de hoje.

A vereadora Kátia Pires (DEM) afirmou que o Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) será acionado. “Já tinha ouvido algo parecido sobre essa denúncia e pelo menos três funcionários do hospital confirmaram a história. Vamos representar no MP para verificar. Isso é imoral, ilegal e precisamos combater a injustiça com Parnamirim. Registro aqui a minha indignação”, completou.

Já o presidente da Câmara, vereador Ricardo Gurgel (PSB), disse que irá procurar o deputado. “Não acredito que isso aconteça porque é um crime. Vou conversar com o deputado pessoalmente pra saber dessa situação”, contou.

Comentários (21) enviar comentário
  1. marcos disse:

    tudo farinha do mesmo saco,,,,,

  2. Vanusa disse:

    Ano de eleições e que nomes são bem aceitos na boca do povo, são totalmente perceguidos com difamações sem o menos ser apuradas já jogam nas redes sociais. E para esses vereadores, se formos atrás tbm veremos que com certeza estao na mesma situação e querem prejudicar o outro para que seu nome seja esquecido. Isso eu não estou aqui defendendo políticos. Mas sim que primeiro pra jugar temos que ter provas, vamos trabalhar para o povo senhora vereadora Katia e tentar esquecer os defeitos dos outros, pq quem tem telhado de vidro não atira pedra no do vizinho. Fica a dica!

  3. Cristina Nascimento disse:

    Bom dia a todos. Parabenizo LANDA pela reflexão e digo mais. O Hospital Regional Deoclecio Marques vem vivenciando uma gestão que busca a qualificação do servidor, incluindo no processo de educação permanente do SUS; o abastecimento dos insumos (medicamentos médico-hospitalar); a manutenção corretiva e preventiva de equipamentos; fazer os leitos e as cirurgias rodarem; e ainda, atender e da os devidos encaminhamentos as necessidades de quem busca o apoio da Direção.

  4. Islen Rocha disse:

    É bom que investigue e caso venha ser verdade que os culpados sejam punidos, porém fica a minha crítica os vereadores de Parnamirim/RN que não quiseram investigar a denuncia do Veriador Ricardo Gurguel com respeito as empresas contrtadas para prestar serviços terceirizados no município, estamos de olho senhores.

  5. João Alcantara de Melo disse:

    Fazer denúncia anônima é muito fácil, qualquer pessoa pode fazer. Agora é bom ter provas, acusação assim é crime!

  6. Celeucia disse:

    Vcs deviam te vergonha na cara e fazer o q é melhor p população, porque o hospital Deoclécio ta lotado d gente doente,precisando d atenção, e tem médico q nem vai lar,os enfermeiros falta ao trabalho, são todos uns ignorante com os paciente, tratar os paciente como uma coisa qualquer, e quando da d 11 p meia noite estão todos dormindo, e a pessoa tem q ir atraz deles p Tomar a medicação,isso sim é uma pouca vergonha,

  7. Paulinho disse:

    Deixem o menino trabalhar, ao invés de estar acusando o rpz !!

  8. Lucio Pontes disse:

    Para questões de postura pública nao cabe ações de averiguação pessoal . os vereadores devem utilizar as estruturas oficiais de investigação para trazer a toda a população de Parnamirim a verdade! Chega de corporativismo!

  9. Toinho disse:

    Katia Pires acusando de uso do público para fins eleitorais?! Çei…

    Começaram a tentar derrubar o rapaz. Trupe da situação tem apego grande ao poder e nem imagino do que são capazes. Só precisam se lembrar que tem telhado de vidro.

    Vou ali pagar minha fatura da CAERN e colocar o lixo na caçamba da LÍDER.

  10. Denis Duarte disse:

    Começou a baixaria. Todo mundo sabe que em Parnamirim sempre se fez política com clientelismo. Mesmo sendo uma cidade grande os vereadores vivem de troca da favores.

  11. Pedro Albuquerque disse:

    E outra coisa, Bruno Giovane tu bates muito no Deputado Carlos Maia, pq não bates nos outros Deputados? Bates nele para tentar mostrar para sociedade que és imparcial? será que é pq é um fantasma da AL e com batendo noutro deputado tu perdes a boquinha?

  12. Landa disse:

    Isso é mentira. Agora que o Deoclécio finalmente tem uma gestão voltada para o cidadão ficam inventando história. O motivo: quebrou as pernas da politicagem que comia solta lá dentro nas gestões anteriores. Pq a Câmara nunca apareceu lá antes? Manda provar. Agora a Camara devia se preocupar em rever o Termo de Compromisso da Pactuaçao… devem nem saber o q é isso. Perguntar ao prefeito pq os tec da UPA recebem o salário e os téc de enfermagem da prefeitura q trabalham lá estao com o salario atrasado. Deviam se preocupar em fazer projetos pra melhorar a saúde e nao encher o saco de quem ta trabalhando. A dorcde cotovelo é pq o Deoclécio deixou decser curral politico de muita gente, inclusive do prefeito.

  13. Hugo disse:

    Vereadores oposicionistas que trocam suas ideologias por cargos. Vamos procurar melhorias pro povo… Tá faltando tudo na saúde!

  14. Hugo disse:

    Sou agente comunitário de saúde em Parnamirim, que tal noticiar que tá faltando medicamento nos postos de saúde??? Hoje mesmo faltava até dipirona na Ubs de Parque industrial… Esses vereadores não querem o melhor pro povo, querem o melhor pra o bolso deles.

  15. Hugo disse:

    BG tá sem pauta??? O único propósito dessa denúncia ANÔNIMA no aplicativo do vereador Ricardo Gurgel é tentar manchar a imagem desse deputado. O política suja essa de Parnamirim. Ricardo tá baixando o nível. Vai terminar igual a campanha de 2008 quando n se elegeu nem vereador. Se liga Parnamirim.

  16. EDER disse:

    A QUEM ELE INDICAR SERÁ O PREFEITO

  17. Pedro Albuquerque disse:

    Deputado trabalhando e essa cambada de ladão da Câmara de Parnamirim, que não fazem nada com picuinha política. A vereadora Katia Pires é cria de Mauricio e Henrique Alves.

  18. Bandeira disse:

    E o escândalo da ALRN? Vai falar nada não!

  19. José Cláudio Pereira disse:

    Se a vereadora Kátia Pires, parar pra pensar, vai perceber que tem tantos outros problemas importante que precisam de sua ação, no bairro onde reside e detem sua maior base eleitoral;( NOVA PARNAMIRIM)que seria muito mais sensato trabalhar para resolver o que interessa a os moradores do bairro do que se preocupar com essas picuinhas.
    Lutar para resolver a situação da Av. Maria Lacerda, torna-la uma via urbanizada e humanizada no que se refere a mobilidade, diz a prefeitura que via é estadual, por isso não pode fazer benfeitoria, fica o povo sofrendo, nem parada de transporte coletivo existem, a população fica ao relento, levando sol, chuva e vento. Coitado do povo pra se livrar deste castigo danado, se abriga no canteiro para não morrer queimado, fazendo a travessia pode ser noite ou dia, correndo enorme risco de morrer atropelado.
    Basta a vereadora, mobilizar a população através de movimentos fazendo com que chamarmos atenção da prefeitura para resolva esse impasse junto ao governo do estado, absolvendo a Av MARIA LACERDA, dando-lhe o cuidado que merece fazendo sua urbanização PROPORCIONANDO MAIS CONFORTO E CIDADANIA A OS MORADORES DE NOVA PARNAMIRIM, e pessoas que por ali transitam

Publicidade

Relator da CPI dos Fundos de Pensão deve pedir indiciamento de Vaccari

VaccariO relator da CPI dos Fundos de Pensão, deputado Sérgio Souza (PMDB-PR), disse nesta quarta-feira que o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto deve ser um dos nomes citados, com pedido de indiciamento, no relatório final que apresentará à comissão. Preso preventivamente na Operação Lava Jato, Vaccari foi levado pela Polícia Federal de Curitiba (PR) a Brasília (DF) nesta quarta a fim de prestar depoimento, mas preferiu não responder às perguntas feitas pelos deputados.
“Há grande possibilidade, eu diria que é muito difícil ele não ser indiciado. O Vaccari foi citado aqui na comissão, foi dito que ele ia à Funcef [fundo de pensão dos servidores da Caixa Econômica] constantemente, que ele recebia o pessoal dos fundos de pensão. No momento certo, no relatório final, vamos encaminhar que em relação a ele tem elementos que podem denotar improbidade, crime de responsabilidade, corrupção, ingerência política”, disse Souza. “O Vaccari tem resposta para todas as nossas perguntas, ele perdeu a oportunidade de esclarecer alguns fatos importantes para a CPI.”
O peemedebista pretende entregar seu relatório na segunda semana de março – a CPI deve encerrar os trabalhos no dia 19 de março. O presidente da CPI, deputado Efraim Filho (DEM-PB), também disse que defende a recomendação de indiciar Vaccari.
“O senhor Vaccari vai enfrentar mais um indiciamento, porque o tráfico de influência está provado pelas mensagens que foram captadas no celular do senhor Léo Pinheiro [diretor da OAS], no depoimento do Milton Pascowitch e no do advogado do senhor Alberto Youssef [Carlos Alberto Pereira da Costa]”, disse o parlamentar. “Ele ficou calado para não mentir à CPI.”
O pedido de indiciamento só ocorrerá, porém, se o relatório for aprovado pela maioria dos integrantes da comissão parlamentar de inquérito. Cabe então ao Ministério Público decidir se vai denunciar criminalmente ou ajuizar ação civil contra os investigados citados.
O advogado de Vaccari, Luiz Flávio Borges D’Urso, afirmou que o petista não tem nenhuma relação com negócios dos fundos de pensão e que a CPI não apresentou provas contra ele.
Ao longo da audiência desta quarta, Vaccari se manteve calado, mas mostrou desconforto ao ser vaiado e chamado de ladrão por beneficiários dos fundos de pensão Postalis e Funcef, que assistiam ao depoimento na Câmara dos Deputados. Deputados de partidos de oposição também se exaltaram ao fazer perguntas – não respondidas – ao petista. Eles também acusaram os petistas de agirem como advogados de defesa do ex-tesoureiro.
Os deputados petistas Paulo Teixeira (SP), Erika Kokay (DF) e Assis Carvalho (PI) defenderam Vaccari. Teixeira exigiu “respeito”. “Quando vi o tratamento dado a ele eu me insurgi. No silêncio dele, alguns se inflamaram e agrediram a sua honra, antecipando julgamentos. Estou numa CPI de fundos de pensão e não ouvi qualquer acusação desta natureza. Não somos um tribunal de boteco”, protestou Teixeira.
Assis Carvalho afirmou que a CPI virou um “palanque”. “Não pode ser o papel dessa CPI tentar criminalizar um partido. O PSDB não tem autoridade de apontar o dedo para ninguém”, afirmou. Erika Kokay levou a liminar em habeas corpus dada pelo Supremo, que garantiu a Vaccari o direito de se manter em silêncio e argumentou que ele não pode ser punido por exercer um direito inalienável. “Escutei várias vezes pessoas dizerem que o direito de ficar calado seria considerado como agravante, como caminho para imputar culpabilidade a depoente.”
“Acho que o senhor João Vaccari pode muito bem dispensar o seu advogado porque tem aqui a deputada Erika”, ironizou Paulo Azi (DEM-BA).

Fonte: Veja

Comentário (1) enviar comentário
  1. Paulo Roberto disse:

    E melhor pedir a pena de Morte Mesmo

Publicidade

PODE PEDIR MÚSICA DE NOVO? Duque é denunciado pela sexta vez na Lava Jato

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

A força-tarefa de investigadores da Operação Lava Jato pediu o indiciamento do ex-diretor de Engenharia da Petrobras Renato Duque por evasão de divisas e manutenção de valores não declarados em contas no Principado de Mônaco entre os anos de 2009 e 2014.

Protocolado na Justiça Federal na sexta-feira (15), o pedido de indiciamento foi divulgado hoje (18) pelo Ministério Público Federal (MPF). Esta é a sexta vez que Duque é denunciado por envolvimento em um esquema que desviou recursos da Petrobras.

A denúncia será analisada pelo juiz Sérgio Moro, responsável pela Lava Jato na primeira instância, a quem caberá decidir se o pedido será acatado.

Na peça, os procuradores também pedem o ressarcimento do montante de R$ 80 milhões à Petrobras. A quantia corresponde ao valor total dos recursos do réu bloqueados no exterior e, segundo a denúncia, são fruto de valores ilícitos “lavados” por Duque.

De acordo com os procuradores, Duque remeteu para o exterior US$ 3,8 milhões, entre maio e setembro de 2014, após o início da Operação Lava Jato,

O Ministério Público também diz que Duque ocultou a existência de contas em Mônaco para as quais transferiu recursos. Aos investigadores, o ex-diretor da Petrobras informou que não tem conta no exterior.

Com base em informações das autoridades de Mônaco, o MPF descobriu que Duque é o beneficiário econômico de duas offshores mantidas ocultas das autoridades brasileiras e que foram usadas para movimentar o dinheiro obtido no esquema criminoso investigado na Lava Jato. Offshores são empresas criadas fora do país de origem de seus dirigentes e com regime legal diferente.

Somente em uma das offshores, diz o MPF, Duque movimentou o total de €10.294.460,10. Em outra, ele ocultou a origem e propriedade de €10.274.194,02, “por intermédio da transferência e manutenção de depósitos ocultos das autoridades brasileiras no Banco Julius Bär, de modo consciente, voluntário e reiterado”, diz a denúncia.

O ex-diretor da Petrobras também é acusado dos crimes de corrupção, pertencimento a organização criminosa e lavagem de dinheiro, tendo sido condenado em setembro do ano passado a mais de 20 anos de reclusão.

Comentários (2) enviar comentário
  1. Fernando Segundo disse:

    Pode para Aécio, que foi citado 3 vezes? E para Serra? E para a filha de Serra?

    • SURPRESO disse:

      Eu tenho a impressão que se chamarem Aécio para depor, todos os pecados do PT já estarão justificados . Não é possível que esse povo queira justificar toda essa bandalheira, dizendo que A ou B também agiram errados no passado, até quando vamos ouvir isso?… Roubam hoje, mas roubavam no passado. Poxa gente, o que estamos discutindo é o que ocorre no momento nesse país, a maior quadrilha da história, que só se defende falando do passado, culpando a imprensa e chamando que não apoia essa bandalheira de reacionário, chega é muita cara de pau!

Publicidade

TJ recebe denúncia contra prefeito por suposta fraude em licitação

ivan pendenciasO Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, na segunda sessão plenária de 2016, nesta quarta-feira (13), acatou os argumentos do Ministério Público e recebeu a denúncia contra o atual prefeito de Pendências, Ivan de Souza Padilha, por supostas fraudes em procedimentos licitatórios.

A decisão é relacionada a uma ação penal, na qual a Procuradoria Geral de Justiça pede a condenação pela prática do crime descrito no artigo 90 da Lei 8.666/93 (conhecida como Lei de Licitações) e na forma do artigo 71 do Código Penal, que ocorre quando o autor e, mediante mais de uma ação ou omissão, pratica dois ou mais crimes da mesma espécie.

Segundo a denúncia, o chefe do Executivo, junto a outros envolvidos, nos anos de 2010 e 2011, fraudou o caráter competitivo de procedimentos licitatórios, mediante ajuste e falsificação de documentos, a fim de beneficiar a empresa Breno Padilha de Lima-ME.

O MP ainda narra que houve uma simulação de existência de empresas concorrentes, o que foi confirmado pelos respectivos representantes, ao afirmarem em depoimento que não enviaram proposta e não reconheceram as assinaturas.

“Com efeito, os fatos imputados ao prefeito se acham circunstanciados, em observância ao disciplinado no artigo 41 do CPP, viabilizando, assim, o exercício dos direitos constitucionais, relacionados à ampla defesa e ao contraditório”, ressalta o relator da Ação, desembargador Saraiva Sobrinho, o qual destacou que há provas mínimas que baseiam a denúncia.

enviar comentário
Publicidade

PGR pede mais prazo para concluir investigação contra Renan Calheiros e Aníbal Gomes

A Procuradoria-Geral da República (PGR) pediu hoje (7) a prorrogação do inquérito que investiga o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB-CE) na Operação Lava Jato. Os parlamentares são investigados pela suposta prática de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro.

O pedido para apurar a conduta dos congressistas tramita na Corte desde março e foi prorrogado por três vezes.

Renan foi citado no depoimento de delação premiada do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Em julho, Costa declarou ao juiz federal Sérgio Moro que Calheiros tinha um “representante” que negociou propina com ele.

Após a divulgação do depoimento, o presidente do Senado refutou as acusações do ex-diretor e declarou que suas relações com diretores de instituições públicas nunca ultrapassaram os limites institucionais.

Na sexta-feira (4), o ministro Teori Zavascki, relator dos inquéritos decorrentes da Lava Jato no Supremo, aceitou pedido da PGR para prorrogar as investigações contra a ex-governadora do Maranhão Roseana Sarney, do senador Edison Lobão (PMDB-MA) e do deputado federal Simão Sessim (PP-RJ).

Fonte: Agência Brasil

enviar comentário
Publicidade

OAB/RN denuncia ameaça de morte contra advogado potiguar

OAB-RNO ex-presidente da OAB Macau, hoje prefeito em exercício do município, Einstein Albert, procurou nesta segunda-feira (07)a Ordem dos Advogados do Brasil no Rio Grande do Norte (OAB/RN) comunicando que está sofrendo ameaças de morte.

O presidente da Seccional Potiguar, Sérgio Freire, assegurou que já foram formalizadas as providências necessárias para garantir a segurança do advogado.

“Nos foram entregues provas concretas das ameaças sofridas. Jamais iremos tolerar que a vida de um advogado seja colocada em risco. A OAB está acompanhando o caso de perto e já tomou todas as medidas necessárias para garantir a integridade física do advogado”, disse Freire.

Comentários (3) enviar comentário
  1. Eva disse:

    Com o aumento da violência todos são atingidos. Mas, a OAB insiste em ignorar esse fato pregando uma imunidade que não existe. E o pior, tem muitos advogados que acreditam. Quando morrerem uns vinte advogados aí eles saberão o significado da palavra DIREITOS HUMANOS.

  2. Sergio Nogueira disse:

    Certeza que ele ficou muito tranquilo depois que a OAB disse que não tolera casos assim.

Publicidade