Publicidade

Lula entre os mais ricos do país

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sempre fez questão de se apresentar como “homem do povo”. À moda de populistas em todo o mundo, vangloria-se de falar num idioma próximo do homem comum, repleto de metáforas futebolísticas e “causos” de botequim. Os alvos são sempre os mesmos: os banqueiros, as elites, a “mídia” e todos aqueles que acusa de ter preconceito contra um ex-retirante nordestino que chegou ao posto de maior poder no país.

Para seus opositores mais eloquentes, Lula é apenas um hipócrita que enriqueceu à custa da corrupção, um “bilionário” que mantém fortunas em contas secretas fora do país, onde acumula tudo o que surrupiou dos cofres públicos.

A condenação de Lula por corrupção tem contribuído para trazer um pouco de luzes para a discussão, ao ajudar a revelar a extensão de sua riqueza. Além de condená-lo a nove anos e meio de cadeia – sentença que só será cumprida se confirmada na segunda instância –, o juiz Ségio Moro mandou congelar bens em nome de Lula no valor de R$ 10 milhões.

Depois de bloquear R$ 606 mil em contas e aplicações bancárias, quatro imóveis e dois carros, a Justiça sequestrou ontem R$ 9,04 milhões de Lula, mantidos em planos de previdência privada no Banco do Brasil. A depender do valor dos imóveis o total dos ativos de Lula pode chegar perto de R$ 15 milhões – patamar que, segundo dados divulgados pela Receita Federal no ano passado, delimita o grupo de 0,1% da população com maior riqueza.

Impossível saber se o valor bloqueado por Moro corresponde a toda a fortuna de Lula. Ele foi condenado como proprietário oculto de um apartamento no Guarujá e ainda responde a processos por esconder em nome de terceiros propinas de R$ 12 milhões recebidas da Odebrecht, na forma do terreno usado para construir o Instituto Lula, de um sítio em Atibaia e outros agrados de menor monta.

O Lula que surge da Lava Jato não é o bilionário, dono de jatinhos e apartamentos em Nova York, Paris e propriedades em ilhas paradisíacas – esse é o perfil de Joesley Batista. É até possível que Lula acumule dezenas de milhões fora do país, fora do alcance direto de Moro e da Lava Jato. Por enquanto, contudo, as investigações têm revelado um padrão de riqueza mais compatível com um executivo de classe alta do que com um magnata: carros, meia dúzia de imóveis e R$ 10 milhões no banco.

A questão é: Lula teria como acumular tudo isso apenas com os vencimentos que recebeu ao longo da vida, do partido, de suas aposentadorias e dos cargos públicos que ocupou?

Para guardar R$ 9 milhões, supondo um rendimento real de 5% ao ano – compatível com os ganhos da Selic sobre a inflação –, um indivíduo da idade de Lula que tivesse começado a poupar aos 30 anos precisaria guardar R$ 5.865 por mês (em dinheiro de hoje) ao longo de 35 anos. Seria possível Lula ter mantido tais contribuições?

Claro que não. Seu dinheiro foi, contudo, encontrado em duas contas, uma com R$ 1,8 milhão em seu nome, outra em nome de sua empresa de palestras, a LILS, com R$ 7,19 milhões. É possível inferir que a segunda conta reúne os rendimentos polpudos de sua carreira de palestrante, iniciada depois que ele deixou o governo, enquanto a primeira acumula sua poupança ao longo da vida. Lula nega ter realizado palestras de fachada para disfarçar propinas e apresentou provas de ter feito várias delas.

Independentemente da dúvida que cerca essa carreira lucrativa, para guardar o R$ 1,8 milhão, alguém com o perfil e a idade de Lula precisaria ter poupado pouco menos de R$ 1.200 por mês ao longo de 35 anos. Não é um absurdo, mas certamente não é um rendimento acessível a um “homem do povo”, nem a ninguém que receba salário mínimo. Mesmo professores universitários ou gerentes de nível médio teriam dificuldade para manter tal poupança.

A condenação de Lula apenas confirma um fato que ele tenta a todo custo esconder atrás de sua retórica populista: ele tem um padrão de vida e uma riqueza compatíveis com uma vida de classe alta. Pertence, portanto, à mesmíssima elite que tanto insiste em atacar.

G1 – 

Comentários (16) enviar comentário
  1. Marcus Paulo disse:

    Incrível um ex-presidente da república não poder ter um apartamento. Agora mais incrível é um jornalista que foi assessor na prefeitura de natal, que mete o cassete em Lula e ter e morar num apartamento aqui em Natal, na praia de areia Preta, localizado no mesmo edifício onde mora o governador e pouquíssimas pessoas tomam conhecimento disso….

  2. Waldemir disse:

    Se eu fosse MILITONTO só aceitaria sanduíche de presunto e coca cola kkkkk

  3. Coxinha disse:

    Aécio é honesto e vai provar!
    Esses petistas perseguem um homem de bem.
    Lula na cadeia já!

  4. Abel disse:

    Agora de amargar é o cabra ser rico bilionário e não poder usufruir, o feitiço virou pra cima do feiticeiro, quem manda ser otário em dizer que não possui nada. Agora aguente, rico e liso ao mesmo tempo. Trouxa!

  5. Glasgow Bezerra disse:

    Isso aí é só a ponta do ice Berg. Muita coisa ainda esta por vir. Esse marginal deveria estar preso há muito tempo.

  6. CURITIBA JÁ disse:

    esta foturna deve ser de seu salario, o cara ´[e o mais honesto do mundo

  7. NILO disse:

    A ÚNICA FORMA QUE ESSES DOENTES CONSEGUEM DEFENDER ESSE MARGINAL É PERGUNTANDO POR AÉCIO OU TEMER, PORRA, PRENDAM ELES TAMBÉM, MAS NÃO DEIXEM ESSE LADRÃO ESCAPAR! #LULANACADEIAJÁ

  8. Ceará-Mundão disse:

    Lula e seu PT foram as piores coisas que já surgiram na política nacional. Nunca, na história deste país, houve um canalha maior que esse sujeito.

  9. ANE disse:

    PRONTO, OS OUTROS ROUBAM E NÃO TEM NADA. LULAAAA NÃO PODE TER NADA , A POVINHO DISPEITADOVÃO PROCURAR UMA LAVAGEM DE ROUPAS.

  10. #FORAMAIA disse:

    Eu que não troco meu Apto em Lagoa Nova pelo dele em São Bernardo do campo. Todo povo tem a imprensa que merece!!!!

  11. LUCY disse:

    IMPRENSA LIXO, E AS CONTAS DE AÉCIO NA SUÍÇA.

    • Lúcio Caldas disse:

      A imprensa tem obrigação de divulgar tudo sobre todos.
      Não vi um comentário defendendo Aécio, mas vocês idólatras do maior ladrão do país, quanto mais se prova a fortuna dele, mais vocês se preocupam com Serra, Aécio e Temer.
      Se Aécio, Cunha ou qualquer outro político desviou, que responda legalmente por seu crime.
      Agora não adianta querer tapar sol com peneira, Lula está milionário e não foi pelo salário recebido como ex presidente. Só o PT tem BANDIDO de ESTIMAÇÃO.

    • Alma limpa disse:

      Todos tem que ser presos! Idolatrar ladrão é sr igual!

    • Waldemir disse:

      Kkkk não sei se você é palhaço ou palhaça kkkk nem sabe se é do sexo masculino ou feminino
      Kkkkk fora PT

  12. Ems disse:

    Pense numa alma honesta !!!

  13. Maria Aparecida disse:

    Palhaçada, e ainda se faz de coitado…

Publicidade

Além de Temer, delação envolve Dilma, Lula, ministros, senadores e governadores

Além do presidente Michel Temer e do senador Aécio Neves, a delação da JBS envolve os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff , ministros da atual gestão e governadores de estado. No caso dos ex-presidentes, o empresário Joesley Batista e o executivo Ricardo Saud relataram pagamentos em contas no exterior tanto para Lula quanto para Dilma. O saldo dessas contas em 2014 teria chegado a US$ 150 milhões.

O ex-ministro Guido Mantega seria o intermediário dos pagamentos que eram devidos em razão de esquemas criminosos no BNDES e em fundos de pensão. Em 2010, por intermédio do ex-ministro Antonio Palocci teria sido feito outro repasse, de R$ 30 milhões, para a campanha de Dilma.

O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), foi acusado por Ricardo Saud. Segundo o relato, o peemedebista recebeu R$ 5 milhões pela atuação em uma Medida Provisória que disciplinava créditos de PIS/Cofins.

No caso dos ministros do governo Temer, Gilberto Kassab foi citado como beneficiário de propina por Wesley Batista, irmão de Joesley, e também pelo executivo Ricardo Saud. Em relação a Marcos Pereira, Joesley relatou aos investigadores ter pago propina em troca da aprovação de um empréstimo de R$ 2,7 bilhões para a JBS pela Caixa Econômica.

GOVERNADORES

O governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), é citado junto com seu antecessor André Puccinelli (PMDB) como beneficiário de pagamentos de R$ 150 milhões entre 2007 e 2016 como contrapartida a benefícios fiscais recebidos pelo grupo empresarial.

O governador mineiro Fernando Pimentel (PT-MG), foi acusado de receber R$ 3,6 milhões no período em que ocupou o ministério do Desenvolvimento na administração Dilma Rousseff.

O governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD-RN), é acusado de ter recebido junto com seu filho, o deputado Fábio Faria (PSD-RN) um pagamento de R$ 5 milhões em propina em troca da privatização da companhia de água e esgoto do estado.

No caso do governador catarinense, Raimundo Colombo (PSD-SC), a acusação é de pagamento de R$ 10 milhões em troca de favorecimento na licitação na companhia de água e esgoto do estado.

São citados como beneficiários os ex-governadores Cid Gomes (PDT-CE), que teria recebido R$ 20 milhões em troca de liberação de créditos de ICMS, Sérgio Cabral (PMDB-RJ), que teria recebido R$ 40 milhões em propina, e Silval Barbosa (PMDB-MT), que recebeu pagamentos em troca de benefícios fiscais à JBS.

SENADORES

Aparecem ainda na delação os senadores José Serra (PSDB-SP), tendo recebido R$ 20 milhões a pretexto de campanha, e Marta Suplicy (PMDB-SP), como beneficiária de R$ 1 milhão em 2010 e R$ 3 milhões em 2014.

Delator da Lava-Jato, Delcídio Amaral foi mencionado como sido beneficiário de propina de R$ 5 milhões em troca de uma concessão, fato que não consta de sua colaboração.

Há relatos ainda de pagamentos para o deputado João Bacelar (PR-BA) e para o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

O Globo

Comentários (3) enviar comentário
  1. MITO NELES disse:

    E Gorpi

  2. Blue disse:

    A Caern é nossa!

Publicidade

OAS derruba defesa de Lula

A OAS, segundo O Globo, informou ao juiz Sérgio Moro “não ter localizado qualquer contratação ou doação feita pela empresa a ex-presidentes da República, tampouco para institutos ou fundações a eles relacionadas”.

Isso derruba a defesa de Lula.

Seus advogados diziam que a armazenagem do acervo presidencial foi negociada com o Instituto Lula como contribuição privada, depois que ele deixou o governo.

De acordo com a OAS, isso é mentira.

As despesas com as reformas de Lula e com a armazenagem do acervo presidencial não foram uma contribuição privada ou uma doação, e sim um repasse clandestino.

O Antagonista

Comentários (4) enviar comentário
  1. Walter disse:

    E agora os petistas vão dizer que a OAS está mentindo kkkkkk cadeia neles

  2. Paulo disse:

    Crapulas todos.

  3. Marcus Paulo disse:

    Pronto agora vão prender Lula…..

  4. Bolivas nunca mais! disse:

    E agora José? Como já dizia minha vó: A mentira tem pernas curtas….
    Isso enlouquecem os mortadelas….

Publicidade

Lula “participou ativamente” de Petrolão, acusam procuradores

Em parecer à Justiça nesta semana, procuradores da Operação Lava Jato acusam o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de ter “participado ativamente” do esquema de corrupção na Petrobras e de ser um de seus beneficiários.

“Há elementos de prova de que Lula participou ativamente do esquema criminoso engendrado em desfavor da Petrobras, e também de que recebeu, direta e indiretamente, vantagens indevidas decorrentes dessa estrutura delituosa”, escrevem os procuradores.

O documento, de 70 páginas, é um dos mais incisivos posicionamentos do Ministério Público em relação ao ex-presidente, alvo de inquéritos na Lava Jato.

Para os procuradores, não é “crível” que Lula não soubesse da existência do esquema, tendo em vista que admitiu, ainda em 2005, a existência de caixa dois no PT e também afirmou à Polícia Federal, em março, que nomeava os diretores da Petrobras de acordo com as indicações de aliados políticos.

“Diversos fatos vinculados ao esquema que fraudou as licitações da Petrobras apontam que o ex-Presidente da República tinha ciência do estratagema criminoso e dele se beneficiou”, escrevem.

A força-tarefa ainda acusa o PT de atuar “de forma constante e própria” para obter dinheiro para a legenda.

O documento lista diversos acusados na Lava Jato que tinham ascendência no partido e íntima relação política com Lula, tais como o ex-ministro José Dirceu, o ex-tesoureiro João Vaccari Neto e o ex-deputado André Vargas -todos presos pela operação.

“Considerando que todas essas figuras, diretamente envolvidas no estratagema criminoso, orbitavam em volta de Lula e do PT, não é crível que ele desconhecesse a existência dos ilícitos”, dizem os procuradores.

FolhaPress

Comentários (10) enviar comentário
  1. zedetoim disse:

    Não acredito que Lula tenha participado desse MAL-FEITO….risos

  2. EDER disse:

    SÓ LULA ? E OS OUTROS ( TODOS DO CONGRESSO ), ACASO NÃO ESTÃO ?

  3. Paulo Roberto disse:

    Mentira?Foi mesmo? Ah ladrão!!!

  4. Adolfo disse:

    Reginaldo e Rômulo, o achismo dito por vocês esta com os dias contados. A música a ser tocada será outra bem diferente das que foram ouvidas até agora. As provas estão aparecendo por todos os lados.
    Não sou contra, muito menos a favor de Lula e qualquer outro que seja corrupto. Se houver provas, que o político responda pelas ilegalidades.

  5. JOAO MARIA disse:

    EU JA SABIA

  6. Mário Gentil disse:

    Dá uma lida nisso Rômulo:
    “De acordo com o os elementos de prova colacionados até o momento apontam no sentido de que a real propriedade do bem seria efetivamente de Luiz Inácio Lula da Silva. Logo após o sítio ter sido adquirido por pessoas interpostas em favor de Lula, verificou-se a necessidade de realizar reformas e construir novas benfeitorias no local para que o ex-presidente e sua família pudessem desfrutar da propriedade com maior conforto, após o término do seu mandato”, . Parece que a inocência vai definitivamente ACABAR!

  7. Reginaldo disse:

    Ja imaginou se todo mundo que soubesse que outra pessoa roubou fosse preso não ia ter espaço pra tanta gente.
    Se quiser prender o homem usaem provas concretas e não achismo, estão tentando prejudicar um futuro adversário nas próximas eleições.

  8. Rômulo disse:

    Se houvesse provas de que Lula tivesse "participado ativamente" do petrolão, ele já estaria atrás das grades há tempos! Querem é usar a deturpação da Teoria do Domínio do Fato para condená-lo sem provas, usando termos como "não é crível que ele desconhecesse a existência dos ilícitos", "tem de saber" etc. Provar que é bom, nada!

    • Marta S.O.S disse:

      Provas maiores que essa ?
      Alem de Molitonto, Golpista, Alienado e Pão com Mortadela me diga em qual Mundo da Lua você vive ?

    • Etelvino Firmo disse:

      Você acertou em cheio Rômulo, Lula não está preso até hoje, por falta de provas, só não esqueça que essa situação que vem mudando radicalmente no decorrer do ano de 2016. As recentes delações começam a juntar o quebra cabeça e dar sentido aos esquemas, colocando as peças que faltavam para levar desvendar todas situação de corrupção do petrolão até os chefões. Nas trilhas desbravadas até aqui, muitas levam a cúpula petista. Então aguarde que o quadro vai mudar, mudar muito.

Publicidade

Lava Jato: Lula, Delcídio e outros 5 viram réus

Former Brazilian President (2003-2011) Luiz Inacio Lula da Silva gestures during a meeting with the Workers' Party (PT) members in Sao Paulo, Brazil on March 30, 2015 AFP PHOTO / Nelson ALMEIDA        (Photo credit should read NELSON ALMEIDA/AFP/Getty Images)
Former Brazilian President (2003-2011) Luiz Inacio Lula da Silva gestures during a meeting with the Workers’ Party (PT) members in Sao Paulo, Brazil on March 30, 2015 AFP PHOTO / Nelson ALMEIDA (Photo credit should read NELSON ALMEIDA/AFP/Getty Images)

O juiz Ricardo Leite, da 10ª Vara da Justiça Federal de Brasília, aceitou denúncia apresentada pelo Ministério Público e transformou em réus o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-senador Delcidio do Amaral (sem partido-MS), o ex-chefe de gabinete de Delcídio Diogo Ferreira, o banqueiro Andre Esteves, o advogado Edson Ribeiro, o pecuarista José Carlos Bumlai e o filho dele, Maurício Bumlai. Eles são acusados de tentar obstruir a Justiça tentando comprar o silêncio do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró.

A TV Globo entrou em contato com a assessoria do Instituto Lula, mas até a última atualização desta reportagem não havia obtido resposta.

A denúncia foi apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) no começo deste ano, mas o ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Lava Jato na Corte, determinou que fosse enviada para a Justiça Federal de Brasília depois que Delcídio foi cassado no Senado e perdeu o foro privilegiado.

Segundo a Procuradoria, o procurador Ivan Cláudio Marx fez “acréscimos à peça inicial, com o objetivo de ampliar a descrição dos fatos e as provas”, e aponta os mesmos crimes que a Procuradoria Geral já havia identificado: embaraço à investigação de organização criminosa, patrocínio infiel (quando advogado não defende interesses do cliente) e exploração indevida de prestígio.

O MP informou que os detalhes do aditamento da denúncia não serão divulgados em razão do sigilo, mas esclareceu que o procurador pediu o fim do sigilo no caso.

Ida do processo para Brasília

Quando Delcídio perdeu o foro, o procurador-geral da República pediu ao Supremo que o caso fosse remetido para o juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato no Paraná, por entender que havia conexão dos fatos com o esquema de corrupção na Petrobras.

Segundo Janot, alguns dos denunciados, como o empresário José Carlos Bumlai, o filho dele Maurício Bumlai e o próprio Cerveró já são alvos de processo no Paraná. Advogados de defesa dos acusados, no entanto, contestaram o pedido de envio ao Paraná.

O banqueiro André Esteves, um dos denunciados, argumentou que o suposto crime foi cometido em Brasília. Já o ex-presidente Lula afirmou que o caso deveria ir para Justiça Federal de São Paulo porque fatos narrados ocorreram naquele estado.

O ministro Teori Zavascki reconheceu que o que permitia que o inquérito seguisse no Supremo era o foro privilegiado de Delcídio. Mas, depois que ele foi cassado, o caso deveria continuar na primeira instância, frisou o ministro.

Mas ele entendeu que o próprio Supremo já decidiu que não há a chamada “prevenção” para o que não se referir especificamente à corrupção na estatal. Segundo o ministro, a definição do juízo que deve tocar o caso deve ser feita conforme o local onde o crime foi cometido.

Conforme o ministro, os delitos ocorreram no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Brasília, “com preponderância desta última porque onde desempenhava o ex-parlamentar sua necessária atividade”.

Teori Zavascki também frisou que foi em Brasília que o filho de Cerveró, Bernardo, gravou a conversa que deu origem à descoberta da trama.

G1

Comentários (11) enviar comentário
  1. Fora PT! disse:

    O "cumpanheiro" achou que aqui era a Venezuela… mas não é não.
    Nenhum brasileiro é ingênuo a ponto de acreditar que partidos como PMDB, DEM, PSDB e todos os outros sejam éticos, mas o PT, amigos, levou a corrupção a níveis estratosféricos; tanto que a BBC Londres classificou o caso 'Abreu e Lima' e 'Petrobras', isoladamente, o maior esquema criminoso da história moderna da humanidade.

  2. Wolverine disse:

    #SIFU

  3. Kall disse:

    Sua hora tá chegando Lulinha….
    #PEGALADRAO

  4. Tatuverdadeiro disse:

    Demorou muito para enquadrar esse corrupto compulsivo !!!

  5. Ponto Final disse:

    Começoooouuuu, começççoooouuuuu. Demorou demais, finalmente virou réu, aberta a porteira, passa a boiada, muitos outros, via Curitiba, estão na agulha, basta pronunciamento do MP.
    A "alma mais honesta do país" começa a apresentar pontos negros, manchas de difícil remoção.
    Muito longe de um final, é apenas o começo e quem planta um dia colhe os frutos. Começa a colheita do PT e seus mentores, todos devidamente processados e unidos, afinal possuem uma única forma em todos eles: RÉU.

  6. Djalma disse:

    Olha aí petralhada.. Não foi o Moro… kkkkk.. ainda vem mais chumbo grosso pegando esta cambada de corruptos.. e vem de: Portugal, Estados Unidos, Suiça…. Roubos na Petrobrás, Eletrobrás, Nuclebrás, Fundos de Pensão, etc.. Desvios direto do patrimônio público com o saque patrocinado por Dona Letícia Lula da Silva e seus famigerados filhos nos tesouros do Palácio do Planalto; ontem a Polícia Federal que o molusco larápio mandou as empresas corruptas do petrolão gastarem um milhão e meio de reais numa reforma ao seu gosto em um sítio "que não era seu".. Não sei onde vai ficar a cara deste pessoal da seita petista.. vão arranjar alguma desculpa.. coisas da CIA, do FBI.. que mandara eles roubarem descaradamente … Vai "filosofa" Marile Chauí, conta ou conto da carochinha para ver se a petralhada acredita…

  7. sergio dias disse:

    Pronto. Quem vem a Natal dia 02.08;16, não é o ex-presidente Lula e sim o réu da Lava-jato Lula. Bem perto de ir para Papuda.

  8. Heineken disse:

    SIFU.. hahahaha

Publicidade

Defesa de Lula pede afastamento de procurador da Lava Jato

lula-ministro-adriano-machado-reuters-575x350Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entraram hoje (27) com uma representação no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) para afastar o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos integrantes da força-tarefa de investigadores da Operação Lava Jato. A defesa alega que o procurador antecipou pré-julgamento em relação a culpabilidade de Lula em entrevistas à imprensa.

De acordo com nota divulgada pelo Instituto Lula, a defesa afirmou que o procurador, ao acusar Lula antecipadamente, “alimenta a perseguição midiática que tem o objetivo de atacar a honra e a imagem do ex-presidente”.

Segundo a defesa, Carlos Fernando revelou seu “anseio pessoal em envolver indevidamente o ex-presidente nas investigações.”

”Isso mostra evidente pré-julgamento e a busca não da verdade, mas apenas de elementos que estariam de acordo com o pré-julgamento público emitido pelo procurador”, acrescentou o instituto.

O ex-presidente é investigado sobre supostas irregularidades na compra da cota de apartamento tríplex no Guarujá (SP) e em benfeitorias em um sítio frequentado por sua família em Atibaia (SP).

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) adiou o julgamento sobre a validade da nomeação de Lula para ocupar o cargo de ministro-chefe da Casa Civil, suspensa no mês passado, por meio de uma liminar do ministro Gilmar Mendes. Não há data para retomada do julgamento.

Comentários (6) enviar comentário
  1. Robson disse:

    Esse foto já diz tudo…olha a expressão da mão desse MENTIROSO.

  2. Dary Filho disse:

    Procurador não julga, denuncia. Quem julga é o Juiz, Desembargador ou Ministro do STF ou STJ.

  3. Felicio Honório disse:

    O veto a Mariz torna explícito lado político da Lava Jato!
    Para o colunista Janio de Freitas, o veto à hipótese do advogado Antonio Mariz de Oliveira assumir a Fazenda eleva o envolvimento político da operação das ações artificiosas, revestidas de aparentes justificativas judiciais ou operacionais, para a ação direta; “a maneira de prevenir ou combater limitações à ação investigatória e judicial legítima não é exceder das funções e deveres de conduta, nem, em última instância, o autoritarismo contra o direito de pensamento e opinião” .

  4. Falando Sério disse:

    Qual o poder que Lula tem será que ele pensa que ainda é presidente e que pode intimidar qualquer pessoa.
    Será que vão cuspir em mim pelo meu comentário? Eu vou me antecipar FDP vai cuspir no teu macho.

  5. Sem partido disse:

    ????esse corrupto ,demagogo e mentiroso ainda não caiu a ficha ??? O próximo local será PAPUDA para esse psicopata

  6. JOAO MARIA disse:

    o reu é que escolher por quem vai ser julgado?????????????? eu creio que só no Brasil pode acontecer um fato desta natureza

Publicidade

Lula: ‘quadrilha legislativa implantou a agenda do caos no Brasil’

lula bananaEm sua primeira fala pública depois da aprovação do impeachment pela Câmara, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta segunda-feira que a Casa é comandada por uma “quadrilha legislativa”. O petista ainda reconheceu falhas do governo e afirmou que o Brasil viverá um “período de muita luta”. Com problemas na voz, Lula preparou um discurso que foi lido pelo diretor de seu instituto e ex-ministro Luiz Dulci durante seminário realizado, em São Paulo, pela Aliança Progressista, uma rede de partidos de vários países. A organização informou que o ato reuniu representantes de 20 legendas de 17 países.

– É fato que, além dos impactos da crise internacional sobre a nossa economia, a população do Brasil sofre com falhas do governo, que precisam ser corrigidas – disse.

Apesar do mea culpa, o ex-presidente acusou a oposição de ter trabalhado para aprofundar a crise por não aceitar o resultado da eleição de 2014 e novamente fez críticas à imprensa.

– Uma aliança oportunista, entre as grande imprensa, os partidos de oposição e uma verdadeira quadrilha legislativa, implantou a agenda do caos no país. O petista atacou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que, segundo ele, deflagrou o impeachment, porque o PT não aceitou ajudá-lo no conselho de ética da Casa.

– Foi um gesto claro de vingança.

Para Lula, a votação do processo de impeachment na Câmara foi um “espetáculo deprimente”.

– Corruptos notórios clamando contra a corrupção, oportunistas exercitando o cinismo e a hipocrisia e alguns até defendendo a tortura e e a ditadura.

O ex-presidente se queixou que Dilma não teve direito de se defender e destacou que poucos parlamentares citaram o crime de responsabilidade, do qual a presidente é acusada.

– Houve um pelotão de fuzilamento comandando pelo que há de mais repugnante no universo da política.

Fonte: Blog do Noblat / O Globo

Comentários (13) enviar comentário
  1. Felicio Honório disse:

    Vox/CUT: Lula lidera com 31% sobre Marina e Aécio!
    Talvez seja por isso que tantos vociferam aqui nesse espaço no mesmo instante em que silenciam sobre o afastamento e cassação de Cunha…
    A luta é mesmo contra a Corrupção?

    • Ceará Mundão disse:

      A cadeia espera esse canalha. A Lava Jato vai continuar e muito bandido vai ter o que merece.

  2. Falando Sério disse:

    Lula, Jean, Dilma, Zé Ruela de Abrir, fezes, faustão lama, bosta PT, PC DO B, Psoç, MST. Cut, corrupção tudo em comum entre eles;

  3. Ocsavo disse:

    De quadrilha Lula deve entender, né?

  4. Capitão Planeta disse:

    Arruma a mala aew Lula Proxima parada Repulblica de Curitiba

  5. Fernando Henrique disse:

    "Alianças oportunistas, corrupto notório, o que há de mais repugnante".. Lula devia tá falando de frente pra um espelho.

  6. Paulo Roberto. disse:

    Mesmo sem voz não perde a verborragia que o consagrou.Um fenômeno!

  7. Ôlôco, Óxente disse:

    LULA-LÁ 2018, O POVÃO LHE AGUARDA, QUEIRAM OU NÃO A BUGUESIA E A GLOBO!!!

    • Val Lima disse:

      Na Papuda/DF….

    • Ceará Mundão disse:

      Pobre inocente útil (ou mal intencionado). Um safado que enriqueceu a si e a seus familiares meteoricamente, que só viaja em jatinhos executivos de empresários corruptores, que se utiliza de laranjas para esconder seu patrimônio, que lidera o maior esquema de corrupção já visto neste país, que vive nababescamente desde os tempos de sindicalista sem nunca ter trabalhado de fato (sempre foi um embuste), que se beneficia de relações espúrias com a elite da elite do empresariado nacional, e vem você falar em burguesia. Francamente…

  8. EMILSON disse:

    Quanto custa uma palestra do Lula depois da condução coercitiva?

  9. Expedito Junior disse:

    Cale a boca Lula, pelo amor de Deus! Cale a boca Lula!!!!!!!

  10. Nelson Tavares disse:

    kkkkkkkkkkkk já era para esse bosta !!

Publicidade

STF inclui menções a Dilma, Temer e Lula em inquérito da Lava-Jato

O ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Operação Lava-Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a inclusão de trechos da delação do senador Delcídio Amaral (sem partido-MS) no inquérito que investiga a quadrilha que desviava recursos na Petrobras. Nesses trechos, há citações à presidente Dilma Rousseff, ao vice Michel Temer, ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a alguns parlamentares.

A pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), foram juntados ao inquérito os termos de colaboração números 2, 13, 19, 20 e 21 de Delcídio ao inquérito 3989, o maior de todos da Lava-Jato, com 39 réus. O termo número 2 é o que contém mais citações e trata, entre outras coisas, da possível ingerência de Dilma Rousseff na nomeação de Nestor Cerveró para uma diretoria na BR Distritbuidora. Cerveró, que antes já tinha sido diretor da Área Internacional da Petrobras, também é investigado e firmou um acordo de delação premiada para colaborar com as investigações. Dilma nega ter participado da nomeação dele, mas o senador mencionou telefonemas dela sobre o assunto.

Delcídio relata que estava em Salvador quando recebeu uma ligação de Dilma, então ministra da Casa Civil, questionando se Cerveró seria indicado ou não para a Diretoria Financeira da BR Distribuidora. Delcídio respondeu não saber e, algumas horas depois, Dilma lhe retornou para informar que ele seria realmente indicado. O senador diz acreditar que foi um prêmio de consolação pela atuação de Cerveró no caso da sonda Vitória 10.000. O contrato da sonda ficou com o grupo Schahin, que, com isso, considerou quitado um empréstimo feito pelo PT. O empréstimo seria usado para pagar o empresário Ronan Maria Pinto, que estaria chantageando o partido com informações relacionadas à morte do prefeito de Santo André Celso Daniel, assassinado em 2002.

Também no termo número 2, Delcídio relata cargos ocupados por pessoas indicadas pelo PMDB. Segundo ele, após o escândalo do mensalão, o partido aproveitou a fragilidade do governo Lula para fazer algumas nomeações, inclusive assumindo indicações feitas por outras siglas. Questionado sobre o que diretores de estatais podem fazer pelos partidos, Delcídio disse que, além do peso político, eles “atendem as demandas” das legendas e que “se trata não apenas de influência política, mas também de ‘doações’ e ‘outros objetivos não republicanos'”.

No termo número 20, Delcídio relata a instalação da CPI do Cachoeira em 2012, incentivada por Lula para atingir o governador de Goiás, o tucano Marconi Perillo. Mas, depois, a avaliação foi de que os trabalhos da comissão poderiam pôr em cheque o financiamento da campanha de 2010, especialmente a do PT, uma vez que envolveu também as empresas de Adir Assad. Assim, a própria base governista articulou para acabar com a CPI. “José de Filippi era o tesoureiro da campanha da presidente Dilma Roussef à época e era quem orientava as empresas doadoras no sentido de atender eventualmente a campanha presidencial ou as demais campanhas do PT e aliados a utilizarem as empresas de Adir Assad”, diz trecho do termo de colaboração.

No termo número 13, Delcídio diz que Temer era “muito ligado” a João Augusto Henriques, lobista preso em setembro do ano passado na 19ª fase da Operação Lava-Jato. Henriques é suspeito de operar propina para o PMDB. Ele foi diretor na BR entre 1998 e 2000 e uma de suas atribuições era a compra de etanol, o que levava a uma “relação estreita” com usineiros. Depois, “em 2007 ou 2008”, segundo Delcídio, Henriques foi cotado para ser diretor da Área Internacional da Petrobras “com o apadrinhamento de Michel Temer e da bancada do PMDB na Câmara”.

A então ministra Dilma Rousseff vetou o nome, conforme a delação. O diretor acabou sendo Jorge Zelada, também ligado ao PMDB e preso na Lava-Jato suspeito de operar o esquema de propina na Petrobras. Quando a delação de Delcídio se tornou pública, em março, a assessoria de imprensa de Temer informou que ele nunca foi padrinho de Henriques e que a indicação de seu nome foi feita pela bancada do PMDB na Câmara, assim como a de Zelada.

“No que tange ao desvio de verbas em favor do PMDB, o possível esquema de financiamento ilícito desse e de outros partidos constitui um dos objetos do inquérito nº 3989/STF. Desta feita, por ora, basta a juntada de cópia do termo a esse inquérito”, escreveu o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na petição em que pede a inclusão desse trecho da delação de Delcídio.

No termo número 19, o senador relata irregularidades na aquisição de sondas e plataformas da gestão de Joel Renó, quando ele foi diretor da Petrobras, entre 1999 e 2001, durante o governo Fernando Henrique Cardoso. No termo número 21, apenas diz que não tinha nada de relevante a acrescentar ao que já tinha relatado.

Fonte: O Globo

Comentários (7) enviar comentário
  1. Nelson Tavares disse:

    Já era Dilma !!!!!

  2. #CUNHAmeumalvadopreferido disse:

    João e José,chupa essa manga….kkkkk

  3. João disse:

    Mas Aécio fica fora pela enéssima vez, não é?
    Como podemos acreditar que essa LAVAAJATO é isenta e séria?

    • Verdade seja dita disse:

      Cunha da de 10 a zero na cambada desse Partido das Trevas.

    • João disse:

      Primeiro tiramos o tubarão da água, depois tiramos os bagres, lulas, ostras e companhia…

  4. José Cresio disse:

    BG favor acrescentar a manchete: "e gestão FHC" . Para não parecer, que você está sendo parcial. Ver manchete do UOL: "STF autoriza usar delação contra Dilma, Lula, Temer e gestão FHC em inquérito.

    • Augusto disse:

      Mas NÃO tem essa parte de FHC no UOL…
      "STF autoriza incluir delação contra Dilma, Lula e Temer no petrolão
      Pedro Ladeira – 20.out.2015/Folhapress"

Publicidade

Defesa de Lula pede que Moro seja investigado por grampo de advogados

Federal Judge Sergio Moro during a session of the Committee on Constitution and Justice of the Senate that discuss changes in the Code of Criminal Procedure, in Brasilia, on September 9, 2015. Judge Moro leads Brazil's huge anti-corruption drive that investigates the cases of corruption in the state-owned oil company Petrobras. AFP PHOTO/EVARISTO SA
Foto: Evaristo Sá / AFP Photo

Os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediram hoje (6) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o juiz federal Sérgio Moro seja investigado por supostamente autorizar grampos telefônicos no escritório de advocacia responsável pela defesa do ex-presidente. Segundo a defesa, Moro tinha conhecimento de que a força-tarefa da Operação Lava Jato monitorou conversas do escritório de Roberto Teixeira, que também é investigado na Lava Jato junto com Lula e seus familiares.

A defesa pede que o Ministério Público Federal (MPF) e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) apurem a conduta do juiz, que teria cometido o crime de autorizar interceptação telefônica ilegalmente. De acordo com os advogados, Moro tinha conhecimento de que um dos números interceptados na investigação era do escritório, porque os contatos estão em todos os materiais apresentados pela defesa no processo.

“Vislumbra-se que, de forma inequívoca, o juiz federal Sérgio Moro tinha conhecimento de que o grampo no ramal-tronco do escritório de advocacia era ilegal. Sabia, portanto, que todos os 25 advogados do escritório, com pelo menos 300 clientes, foram grampeados sem justificativa”, dizem os advogados.

Os advogados também sustentam que Moro não poderia autorizar os grampos sem consultar a operadora telefônica, conforme determina resolução do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), para verificar o verdadeiro proprietário da linha.

Fonte: Agência Brasil

Comentários (8) enviar comentário
  1. Na bandeira do meu país não existe a cor vermelha disse:

    Hoje os brasileiros já sabem muita coisa sobre a turma do PT que os genereais do passado já sabiam há muito tempo.

  2. Expedito Junior disse:

    Cale a boca Lula. Pelo amor de Deus!!!!

  3. Antônio Lopes disse:

    Essa tatica de destituir os acusadores eu achava que era criação do marqueteiro preso mas na verdade é uma tática de todos os governos fascistas.

  4. Jorge disse:

    Estes vermes ….VERMES DO PT querem mudar o rumo ,o poste mija no cachorro ,CADEIA

  5. Razão disse:

    O juiz procurou tanto uma prova para ver se colocava Lula na cadeia, não achou, e se desesperou a ponto de criar uma prova contra ele mesmo.

  6. Jeronimo disse:

    Moro, quando a esposa e a filha do Cunha vão depor?

    Burburinho

Publicidade

Janot opina a favor da nomeação de Lula, mas defende Moro no comando da Lava Jato

Rodrigo JanotO procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se manifestou nesta segunda-feira (28) a favor da validação, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), da nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil. Em parecer enviado ao STF, no entanto, ele opinou por manter as investigações sobre o petista até a data de sua posse, no último dia 17, sob a supervisão do juiz Sérgio Moro, que conduz os processos da Operação Lava Jato na primeira instância da Justiça Federal.

A posição do PGR foi remetida para instruir duas ações sob relatoria do ministro Teori Zavascki, contra a nomeação de Lula, protocoladas por PSDB e PSB. No documento, Janot diz que a nomeação de Lula por Dilma contém elementos de “desvio de finalidade”, isto é, serviu para deslocar as investigações sobre o petista para o STF, onde os processos de apuração são mais lentos.

“O acervo probatório e elementos que se tornaram notórios desde a nomeação e posse do ex-Presidente permitem concluir que a nomeação foi praticada com intenção de afetar competência de juízo de primeiro grau. Há danos objetivos à persecução penal, pela necessidade de interromper investigações em curso, pelo tempo para remessa das peças de informação e para análise delas por parte dos novos sujeitos processuais e pelos ritos mais demorados de investigações e ações relativas a pessoas com foro por prerrogativa de função”, escreveu Janot no parecer.

Fonte: G1

Comentários (4) enviar comentário
  1. Nelson Tavares disse:

    MILITARES JÁ!!

  2. Dionísio Cerqueira de Araujo disse:

    Não entendo mais nada.

  3. Coelho disse:

    É lição comezinha de direito que ao interprete é defeso ampliar, modificar ou restringir o espírito da norma. Mas, mesmo assim, Janot faz uma interpretação singular: reconhece a possibilidade de Lula ministro, porém, subtrai-lhe a garantia de ser processado pelo foro legítimo, ferindo de morte o princípio do juiz natural. Com todo respeito sr. Janot, ou o cara embarca como ministro e preservam-lhe o direito inerente a função, ou não pode ser ministro em razão de nova "pedalada" legal. Não pode haver casuismos. Não enxergo legitima a indicação, mas se assim concluirem, negar o foro hoje dominante, é abrir um abismo na legalidade e, aí sim, escancarar a porta para a arbitrariedade. Fora PT, mas com respeito a norma. Ruy Barbosa já dizia que, "quando a lei cessa de proteger nossos inimigos, virtualmente cessa de proteger-nos".

  4. Val Lima disse:

    Ai eu fico imaginando cá com meus botões….Vá entender!!!!!

Publicidade

Governo recorre ao Supremo contra suspensão de Lula na Casa Civil

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, apresentou recurso nesta quarta-feira (23) contra decisão do ministro Gilmar Mendes, da semana passada, que suspendeu a nomeação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no cargo de ministro-chefe da Casa Civil.

O recurso pede que o próprio Gilmar Mendes conceda efeito suspensivo à sua decisão e que depois o caso seja levado ao plenário do Supremo. A peça não aborda decisão desta terça (22) do ministro Teori Zavascki que determinou o envio ao STF das investigações sobre o ex-presidente, por conta de gravações envolvendo outras autoridades.

Na peça, a Advocacia Geral da União (AGU) argumenta que “em período de notória crise política e turbulência institucional, não se pode manietar a Presidenta da República no seu típico espaço de discricionariedade na direção política”, em referência à escolha da presidente Dilma Rousseff em chamar Lula para integrar o Executivo.

O recurso também nega que o objetivo da nomeação tenha sido livrar o ex-presidente das investigações da Operação Lava Jato. Na decisão, Mendes apontou que o ato buscou tirar o caso do juiz Sérgio Moro, da primeira instância, e levá-lo ao STF, o que poderia configurar “desvio de finalidade” por parte da presidente.
A AGU destaca que Lula não está condenado em qualquer instância, “muito menos
despido de seus direitos políticos” e que “mera existência de investigação ou ação penal em
curso não configura causa a obstar o ingresso” no ministério.

Sobre o argumento de que a decisão poderia aliviar as investigações contra Lula, a AGU diz que trata-se de premissa “inteiramente equivocada”. “Adota pressuposto de que essa Suprema Corte seria leniente, menos capaz ou eficaz do que qualquer juízo inferior no processamento e julgamento das ações penais originárias, como que um loeus para proteção e impunidade”, diz a peça.

Por fim, o recurso argumenta que a decisão de Gilmar Mendes “deixa em aberto o exercício de pasta ministerial absolutamente estratégica, com risco de graves prejuízos às ações governamentais”.

A manutenção da decisão, acrescenta, deixa “acéfalo um Ministério da envergadura da Casa Civil, comprometendo a execução de uma série de políticas públicas e ações governamentais que necessitam da anuênica e/ou assistência daquela Pasta para a sua execução, além de retirar do cargo de Presidente da República a competência, que lhe é própria, de nomear um Ministro de Estado”.

Fonte: G1

Comentário (1) enviar comentário
  1. paulo disse:

    BG
    Pode espernear,chorar se arrepender e tudo mais. Está chegando ao fim o pior governo nunca visto antes na historia desse PAÍS chamado Brasil onde um MAFIA tomou de ASSALTO A NAÇÃO BRASILEIRA.

Publicidade

AGU pede ao STF que anule quebra de sigilo dos áudios de Lula e Dilma

Brasília - O futuro ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante anuuncio do novo diretor Geral da PF, Leandro Daiello Coimbra

O advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, entrou com duas ações no Supremo Tribunal Federal (STF) na noite desta segunda-feira (21) para pedir a anulação da decisão do juiz Sérgio Moro, do Paraná, que retirou o sigilo dos áudios interceptados na investigação contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o governo, Moro não poderia ter agido dessa forma porque, por envolver a presidente, essa decisão sobre o fim do sigilo caberia à Suprema Corte.

Ainda segundo a AGU, Moro colocou em risco a soberania nacional e os atos dele apresentam “vício de incompetência absoluta”, uma vez que só o Supremo poderia ter divulgado os áudios. E destacou que informações que “não tem a ver” com a investigação foram tornadas públicas.

“Assim, tomar a decisão de divulgar o conteúdo de conversas envolvendo a Presidenta da República coloca em risco a soberania nacional, em ofensa ao Estado democrático republicano. A interceptação é medida extrema que ofende direitos e garantias constitucionais, como a privacidade. Assim, ofende gravemente a ordem jurídico-constitucional divulgar o que não tem a ver com a interceptação ou a investigação”, diz a AGU no pedido.

“Isso significa que a decisão de divulgar as conversas da Presidenta – ainda que encontradas fortuitamente na interceptação – não poderia ter sido prolatada em primeiro grau de jurisdição, por vício de incompetência absoluta”, complementa.

Na avaliação da AGU, ainda que o alvo fosse Lula, que não tinha foro privilegiado, Moro tinha que ter enviado os áudios para o Supremo decidir o que fazer.

“Ocorre que entre os diálogos interceptados estavam conversas da presidente da República, no pleno exercício do seu mandato, o que implicaria, por força de norma constitucional, que a interceptação e sua respectiva divulgação fossem autorizadas somente pelo Supremo Tribunal Federal”, diz trecho do pedido.

Cardozo destaca ainda que as interceptações podem ter sido ilegais. Para o governo, houve, no caso, “usurpação” da competência do Supremo: “Nessa linha de entendimento, a decisão ora reclamada usurpou a competência jurisdicional reservada ao Supremo Tribunal Federal, juiz natural para discutir divulgação e interceptação telefônica envolvendo quem ocupe o cargo de Presidente da República.”

Nomeação de Lula

Em outro pedido ao Supremo, o governo federal pediu uma liminar para suspender a decisão de Gilmar Mendes, que barrou a nomeação de Lula para chefiar a Casa Civil. Esse pedido já tinha sido feito em uma ação da oposição, e agora a AGU entrou com uma ação própria.

Segundo José Eduardo Cardozo, como um eventual recurso contra a decisão de Gilmar Mendes não teria efeito de suspender a decisão para que Lula assuma o cargo, é necessária uma liminar.

O governo afirma que a nomeação foi um ato legal e diz que “considerando a peculiar situação da semana que se inicia na segunda-feira, dia 21 de março, […] sem a realização de sessões plenárias na corte, faz-se premente a necessidade de concessão de medida liminar”.

enviar comentário
Publicidade