Publicidade

VÍDEO: Interior do RN tem previsão de chuvas intensas com possibilidade de raios

O serviço de acompanhamento meteorológico da Clima Tempo prevê para os próximos cinco dias um volume de chuvas acima de 100 milímetros para o interior do Rio Grande do Norte.

Pelas imagens do satélite, praticamente todas as regiões têm previsão de chuva.

De acordo com o serviço, a presença da ZCIT – Zona de Convergência Intertropical – na costa norte do Brasil favorece a entrada de ar úmido pelo interior do Nordeste.

Até o domingo, 18 de fevereiro, a maioria das áreas do interior nordestino, incluindo o sertão, terá pancadas de chuva e que podem ocorrer com moderada a forte intensidade e com raios.

Leitores do blog registram já as primeiras chuvas da previsão. No vídeo abaixo, o registro de Pataxó:

 

Comentário (1) enviar comentário
  1. Lorena Galvão disse:

    Em São Tomé já choveu 26mm, na nossa Fazenda alto do céu, e continua graças a Deus

Publicidade

RN tem previsão para chuvas em todo o território a partir desta sexta

A partir desta sexta-feira (19), as chuvas deverão se distribuir por todo o território do Rio Grande do Norte, se concentrando especialmente no interior, previu a Emparn à Tribuna do Norte.

No litoral, as chuvas deverão acontecer de forma mais espaçada durante a madrugada e manhã.

A previsão é válida para até quarta-feira (24).

A expectativa é que, na região Oeste, as chuvas aliviem a situação das barragens. Na semana passada, a Armando Ribeiro Gonçalves, em Assu, chegou ao seu menor nível, de pouco mais de 11% de armazenamento.

Comentários (2) enviar comentário
  1. Val Lima disse:

    Ô meu pai….Mande chuva para o meu Seridó …

  2. Chico disse:

    Igual a São Tomé ver pra crer

Publicidade

Rombo nas contas públicas pode chegar a R$ 119 bilhões em 2017

buraco-negro-de-dinheiroDetalhes do projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2017 divulgados nesta segunda-feira (18) revelam que, sem o crescimento de 1% no Produto Interno Bruto (PIB) estimado pelo governo e sem a aprovação da volta da CPMF, o rombo nas contas públicas pode chegar a R$ 119,68 bilhões no ano que vem.

O projeto, enviado pelo governo ao Congresso na sexta (15), já apontava a possibilidade de um rombo orçamentário de R$ 65 bilhões no ano que vem. Entretanto, se a previsão de expansão de 1% para o PIB não se confirmar e os parlamentares não aprovarem a volta da CPMF, conhecida como imposto do cheque, a arrecadação do governo ficaria R$ 54,68 bilhões menor, chegando, assim, ao déficit (receitas menores que despesas) de R$ 119,68 bilhões em 2017.

As estimativas apresentadas pelo governo apontam que o crescimento de 1% no PIB elevaria as receitas em R$ 21,44 bilhões. Já a CPMF tem potencial para gerar um incremento na arrecadação de R$ 33,24 bilhões (considerando que as alíquotas do IOF, que subiram quando o tributo foi extinto, seriam baixadas).

Os números do governo mostram, portanto, que o déficit estimado no orçamento de 2017 poderia ser muito maior do que os R$ 65 bilhões. O mercado financeiro já estima um rombo acima de R$ 100 bilhões no ano que vem.
CPMF e crescimento da economia.

O problema é que a CPMF, além de ainda não ter passado pelo Congresso Nacional, sofre forte rejeição por parte dos deputados e senadores, em um momento no qual o próprio governo vê seu apoio político enfraquecido diante das denúncias de corrupção na Petrobras e das chamadas “pedaladas fiscais” – que levaram o plenário da Câmara dos Deputados ter aprovado a admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

No que se refere ao crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 1%, estimado pelo governo, também há dúvidas de que ele venha a se concretizar. O Fundo Monetário Internacional (FMI), por exemplo, prevê um crescimento zero para a economia brasileira no ano que vem.

Já os economistas dos bancos consultados pelo Banco Central estimaram, na semana passada, uma alta de apenas 0,2% para o PIB em 2017. Com crescimento menor, ou zero, as receitas também ficariam mais baixas.

Fonte: G1

enviar comentário
Publicidade
Publicidade

Preço da gasolina vai subir até o fim do ano, diz ministro da Fazenda, Guido Mantega

A gasolina vai ficar mais cara ainda este ano, afirmou o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Em entrevista ao G1, Mantega, que também é presidente do Conselho de Administração da Petrobras, disse também que o governo decidiu “sacrificar” o chamado “superávit primário” – que é a economia feita para pagar juros da dívida pública – em prol de gastos com investimentos, saúde e educação.

“Quem resolve o preço da gasolina é a Petrobras. Temos uma certa regularidade. Nos últimos anos, sempre teve aumento. Um ou dois. É um setor privilegiado. A maioria dos segmentos teve reajuste de preços uma vez por ano, e não duas vezes por ano. Ano passado [a gasolina] teve dois aumentos. Então, esse ano não será diferente. Vai ter aumento. Ano passado teve aumento em novembro. Quando houver a decisão, haverá um aumento. Não cabe a mim decidir isso”, disse Mantega ao G1.

No ano passado, houve dois reajustes nos preços da gasolina. O primeiro aconteceu em janeiro, quando a Petrobras reajustou o diesel em 5,4% e a gasolina, em 6,6%. O último reajuste aconteceu no fim de novembro de 2013 – momento no qual a Petrobras anunciou que os preços da gasolina e do diesel foram reajustados nas refinarias, sendo que a alta foi de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel.

Com informações do G1
http://g1.globo.com/economia/noticia/2014/10/gasolina-vai-subir-ainda-neste-ano-diz-ministro-da-fazenda.html

enviar comentário
  1. Vitor disse:

    Nunca visto na história do Brasil. Votem nos Petralhas.

  2. firino disse:

    PT à vergonha da nação nam basta basta fora ptsada

  3. Tiago Dias disse:

    Esses coxinhas precisam se decidir se são contra ou a favor do governo interferir nos preço dos combustíveis.

    BASTA COMPARAR!

    PREÇO DO COMBUSTÍVEL
    Em 1998 = R$ 0,85
    Em 2002 = R$ 2,25
    PSDB = AUMENTO DE 170% em 5 anos (Média de 34% de aumento ao ano)

    Gasolina tem 3° reajuste em 35 dias (Folha, 4 de abril de 2002) http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u45090.shtml

    Em 2003 = R$ 2,25
    Em 2013 = R$ 2,90
    PT = AUMENTO DE 29% em 10 anos (Média de 2,9% de aumento ao ano)

  4. junior disse:

    Esses PTralhas estão só deixando a eleição acabar , vai subir muitooo gasolina , ´luz e água , aguardem …… fora PT

  5. sergio santiago disse:

    Votem no PT !!! isso que vcs ganham

Publicidade

Emparn prevê céu nublado e ocorrência de mais chuvas durante esta quinta em Natal; veja previsão em outras cidades

Áreas de instabilidades ocasionadas  pela Zona de Convergência Intetropical deixarão o céu com predominância de parcialmente nublado e ocorrência de chuvas, tanto no interior como ao longo da faixa litorânea leste. As informações são da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(EMPARN). Veja previsão nesta quinta-feira(29) abaixo:

Untitled-2 Untitled-3

Comentário (1) enviar comentário
  1. FH disse:

    Sei que o que significa o nome PREVISÃO de tempo. Mas a nossa previsão é no mínimo radícola. Melhor olhar para o horizonte, ouvir os pássaros e sapos, grilos e cigarras e se um índio passar aproveito para questionar.

Publicidade

Fenômenos presentes no Nordeste: Emparn prevê pancadas de chuvas em todo o Estado

Segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte(Emparn), o Vortice Ciclônico de Ar Superior associado a  Zona de Convergência Intertropical presentes sobre o Nordeste deixarão o  céu  sobre o  Estado parcialmente nublado a claro e ocorrência de pancadas de chuvas em todo o Estado, principalmente nas regiões Oeste e Litoral Leste. Confira previsão:

Untitled-1

enviar comentário
Publicidade
Publicidade

Acordo entre governo e Petrobras prevê aumento de combustíveis em junho

O governo e a Petrobras estimam para junho um novo aumento da gasolina e do diesel. O calendário, que não foi divulgado ao mercado, integra um dos pontos do mecanismo aprovado em dezembro pelo conselho de administração da empresa, presidido pelo Ministério da Fazenda.

Na reunião de dezembro, o conselho iniciou uma nova política de preços com o reajuste de 4% para a gasolina e de 8% para o diesel.

À época, a estatal afirmou que o mecanismo fora adotado para garantir a “convergência dos preços internacionais ao mercado doméstico”, há tempos defasado, e “assegurar a redução do nível de endividamento da estatal no prazo de 24 meses”.

INFLAÇÃO

Segundo a Folha apurou junto a integrantes da equipe econômica, o calendário passou a preocupar mais a cúpula do Executivo após o reajuste do mês passado ter sido um dos vilões do aumento da inflação em 2013.

Uma saída, segundo setores do governo, seria antecipar o aumento, talvez para março, diluindo assim o impacto do reajuste sobre a campanha de reeleição de Dilma Rousseff.

Evitar a pressão inflacionária em ano de sucessão é uma das obsessões da presidente da República.

Nas avaliações internas, a principal força eleitoral da campanha pela reeleição vem do baixo índice de desemprego e do estável nível de renda da população, variável sempre impactada quando há pressão nos preços.

SIGILO

Em dezembro, após aprovar a política de recuperação, a Petrobras deixou claro por meio de comunicado que os critérios de reajuste não seriam divulgados. Nem a empresa nem o Executivo federal detalharam qual seria o mecanismo.

O efeito colateral do sigilo é blindar o governo de cobranças no caso do não cumprimento dos parâmetros para tentar sanar o deficit no caixa da empresa.

No comunicado divulgado à época, a estatal afirmava que, para recuperar o caixa, combinaria a política de reajuste com o crescimento da produção de petróleo.

Tanto o aumento de dezembro quanto a definição de um método de reajuste ocorreram após intenso embate entre a companhia e o governo federal, sócio majoritário e resistente à elevação por medo de provocar mais inflação.

FÓRMULA

Ano passado, para pressionar a Fazenda, a diretoria da empresa havia aprovado, de surpresa, uma fórmula de reajuste automático, mas a alternativa acabou sendo descartada por ordem de Dilma. O argumento é de que a fórmula criaria um gatilho inflacionário na economia.

Sem novos reajustes, a empresa pode ser rebaixada pelas agências de classificação de risco; ou, no jargão de mercado, perder o chamado grau de investimento em plena corrida eleitoral. Esse rebaixamento encareceria empréstimos e financiamentos tomados no exterior, por exemplo.

Nos últimos anos, o Brasil passou de exportador a importador de gasolina para dar conta do aumento da frota de veículos.

As importações acabaram afetando os resultados da estatal, já que ela não repassa para os consumidores o custo total das aquisições.

Analistas de mercado e economistas ligados à oposição atribuem ao governo o controle de preço da gasolina e seu impacto sobre a saúde financeira da empresa.

Durante a eleição, o controle sobre os aumentos da Petrobras tendem a ser um dos temas da campanha.

Procurado, o ministério da Fazenda não comentou o assunto e informou que o titular da pasta, Guido Mantega, presidente do conselho de administração da Petrobras, está em férias. A assessoria da estatal também não quis comentar.

Folha

Comentário (1) enviar comentário
  1. Luciana Morais Gama disse:

    O povo precisa saber que no Brasil so quem produz GASOLINA eh a PETROBRAS, que vende para as outras distribuidoras como a ESSO, IPIRANGA, TEXACO, etc, e por isso que nao temos a livre concorrencia como muitos gostariam e que eh justo, sem contar que nossa gasolina eh RECHEIADA DE TRIBUTOS, como so de ICMS o nosso pobre (quebrado??) Rio G do Norte, fica com R$ 0,80 por litro, valor pago antecipadamente na fonte, ou seja antes da gasolina ser vendida nos postos.

Publicidade

Emparn prevê céu nublado nesta sexta; confira clima em Natal e outras cidades

A Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) prevê para esta sexta-feira (20), em Natal e região, céu parcialmente nublado a claro, com algumas pancadas de chuvas fracas e isoladas, principalmente, pela manhã, sobre o setor leste do Estado. Nas demais regiões predominará a condição de céu parcialmente nublado a claro. Confira previsão:

Untitled-1

enviar comentário
Publicidade

Confira previsão do tempo em Natal para esta semana

Confira a previsão do tempo em Natal nesta semana, de 13 até 19, segundo o Jornal do Tempo da UOL:

Segunda-feira – 23 °C- 30°C (Sol, alternando com pancadas de chuva e possíveis trovoadas)

Terça-feira – 23 °C28°C (Tempo fechado e chuvoso, com possíveis trovoadas)

Quarta-feira – 23 °C31°C (Sol, alternando com pancadas de chuva e possíveis trovoadas)

Quinta-feira – 23 °C31°C (Sol, alternando com chuva em forma de pancada rápida e isolada)

Sexta-feira – 23 °C31°C (Sol, alternando com chuva em forma de pancada rápida e isolada)

Sábado – 23 °C30°C (Sol, alternando com pancadas de chuva e possíveis trovoadas)

Domingo – 23°C31°C (Sol, alternando com pancadas de chuva e possíveis trovoadas)

enviar comentário
Publicidade

Confira previsão do tempo em Natal até o domingo de dia das mães

Confira a previsão do tempo para Natal nesta quarta-feira(8) até domingo(12), dia das mães:

08/05 (Quarta-feira)
Chuvas Rápidas

31°C | 24ºC

Nascer do sol: 05h23m
Pôr-do-sol: 17h11m
Chuvas Rápidas

09/05 (Quinta-feira)
Pancadas

31°C | 24ºC

Nascer do sol: 05h23m
Pôr-do-sol: 17h10m
Pancadas

10/05 (Sexta-feira)
Poucas Nuvens

31°C | 24ºC

Nascer do sol: 05h23m
Pôr-do-sol: 17h10m
Poucas Nuvens

11/05 (Sábado)
Poucas Nuvens

30°C | 23ºC

Nascer do sol: 05h23m
Pôr-do-sol: 17h10

Poucas Nuvens

12/05 (Domingo)
Pancadas

30°C | 23ºC

Nascer do sol: 05h23m
Pôr-do-sol: 17h10m

Fonte: Folha

enviar comentário
Publicidade