Publicidade

FOTO: Empresários franceses, Prefeitura e órgãos ambientais discutem projeto da Marina na Via Costeira

18771Os empresários franceses da empresa New Co Marine apresentaram em reunião realizada na quarta-feira (26) pela manhã no auditório da Fecomercio novas propostas para construção da marina de mar aberto na Via Costeira (em frente ao hotel Barreira Roxa e Instituto de Biologia Marinha da UFRN). A engenheira da New Co Marine, Jeanne Guerin-Chabanet, apresentou três projetos da marina com os ajustes que incluem uma oficina para reparos de barcos e posto para abastecer as embarcações que não trazem nenhum dano ambiental na área destinada a marina. O representante da superintendência do Patrimônio da União, Nelor Barbosa afirmou que é possível a regularização da marina após os estudos ambientais mais profundos dentro das normas exigidas pelo órgão.

A reunião foi aberta pelo secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Seturde) Fernando Bezerril que agradeceu a presença de todos e salientou que a Prefeitura do Natal, por intermédio da secretaria tem o maior interesse no projeto da marina da Via Costeira que dá partida a desenvolvimento do turismo náutico na cidade. “O prefeito Carlos Eduardo é um entusiasta desse projeto que visa atingir outro tipo de turista de maior poder aquisitivo e que trará benefícios na geração de empregos e renda, além de proporcionar a profissionalização de jovens”.

O secretário sugeriu aos franceses que no complexo da marina seja incluída a escola de velas para treinar jovens da comunidade do bairro de Mãe Luiza, o que foi aceito pela equipe de técnicos da New Co Marine. O diretor executivo da Fecomercio, Marcus Guedes informou que devido a compromissos em Brasília, o presidente da entidade, Marcelo Queiroz não estaria presente, mas deixou a mensagem de compromisso da federação em abraçar o projeto para Natal dar um salto de qualidade com o desenvolvimento do turismo náutico.

O grupo francês escolheu Natal pelo grande potencial que a cidade oferece. Além de possuir uma rede hoteleira que atenderá a expectativa da clientela, conta também com o desenvolvimento náutico que surgirá com a criação do GT Náutico RN, e ainda com aspectos econômicos, sociais, naturais e turísticos propícios à construção do projeto da marina. “A área onde a marina pode ser construída está inóspita e pode receber uma ótima função a partir deste projeto. Seguindo as leis ambientais, vai ser possível construir mais uma atividade para o trade turístico de Natal”, reforçou Fernando Bezerril.

As propostas para construção da marina sustentável incluem área com uma atracação para parcos de até 15 metros e calados de 5 metros e com capacidade para 168 barcos de 15 metros e ainda 58 vagas para embarcações de até 12 metros. O custo do projeto sofreu redução, avaliando em pouco mais de R$ 100 milhões com parte sendo financiado pelo Banco do Nordeste. O próximo passo agora será cumprir todas as exigências requeridas pelos órgãos ambientais. Pelos cálculos dos representantes do Idema e Patrimônio da União todo esse processo deverá levar pouco mais de um ano.

Participaram da reunião Francisco Carlos Cavalcanti, superintendente estadual do Banco do Nordeste; Marjorie Madruga, Promotora da Procuradoria Geral do Estado e coordenadora da Câmara Técnica de Meio Ambiente e Sustentabilidade (CTMAS/PGE/RN); Marcelo Zsigmond (Amanáutica); Jamir Fernandes Júnior (IDEMA); Jean-Marie Barbero, Sergio Azzaretto e Carolina Fernandes Martins, pela New Co Marine: Laumir Barreto, assessor executivo da Fercomercio; Marcelo Alvim, chefe de gabinete da Seturde e Carlos Sodré, engenheiro ambiental, e o consultor de turismo.

Comentário (1) enviar comentário
  1. Rafael disse:

    Seria SENSACIONAL!! Já estou na torcida que esse projeto saia do papel. Cidades como Barcelona, Nice (França), Lisboa, Mônaco possuem marinas desse tipo. É bom para a população local e para o turismo. Faz girar mais dinheiro na cidade, além de embelezar ainda mais a nossa Via Costeira. Claro que isso não resolverá problemas da saúde, nem na segurança e muito menos na educação, mas é mais uma frente de desenvolvimento da cidade que precisa ser cuidada. Tudo o que for na direção de desenvolvimento da cidade, com seus devidos cuidados ambientais, eu sou a favor. #DesenvolveNatal
    Twitter: @marquesrm

Publicidade